Comendo e pensando à brasileira

Carnes de caça, cafés e frutas da mata atlântica no primeiro dia do ''Paladar - Cozinha do Brasil''

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

Paca, queixada e cateto. O Paladar - Cozinha do Brasil começou com um banquete preparado pelos chefs Edinho Engel e Paulinho Martins em que eles usaram a carne dessas três caças brasileiras que pouca gente já provou.

Os chefs, radicados na Bahia, mostraram como preparar a carne desses animais selvagens criados em cativeiro com autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Quem assistiu à aula experimentou cateto ensopado com polenta e quiabo; pernil de paca à pururuca e confit de queixada com feijão de leite, farofa e taioba. A aula foi animada, como se estivesse acontecendo na cozinha de casa.

"A gente gosta de cozinhar, mas também gosta de bagunça", disse Edinho Engel, chef do restaurante Amado, em Salvador.

Na sala ao lado, a temperatura esquentou à medida que a cozinheira mexicana Lourdes Hernández e o produtor de pimentas Cyro Abumussi mostravam chiles na aula Pimentas e Outras Conexões - Brasil-México. Chiles "para crianças", saborosos e pouco picantes, ou os fortíssimos, foram transformados em salsa mexicana com pimenta-de-cheiro e em salsa verde simples. Para acompanhar, maria vampirinha, a versão de Lourdes para o Bloody Mary - com tequila, é claro.

Durante a tarde, Ana Luiza Trajano e Rodrigo Oliveira comandaram o workshop Na Onda do Rio Tem Peixe. Trouxeram um enorme pirarucu e outros peixes de água doce. O chef dinamarquês Simon Lau ensinou a defumar peixes em casa. Roberta Sudbrack mostrou os lados ácido e amargo da banana. Frutas da mata atlântica, como cambuci, uvaia e butiá, viraram doces elaborados nas mãos de Flavio Federico. Concorrida, a degustação conduzida por Ensei Neto e Eduardo Maya combinou queijos com cafés de diferentes partes de Minas. O requeijão moreno foi a melhor surpresa.

No corredor, as atenções se voltaram para a "filial" da Mercearia Paraopeba, de Itabirito, Minas Gerais. Roney de Almeida trouxe pilhas de goiabada cascão e queijo Canastra, entre outros produtos mineiros artesanais. Ao lado, o baiano Beto Pimentel exibia jenipapo, licuri, gérmen de coco, biri-biri, fruta-pão e araça-mirim.

O Paladar - Cozinha do Brasil vai até domingo no Grand Hyatt São Paulo.

Serviço

PALADAR - COZINHA DO BRASIL. GRAND HYATT SÃO PAULO

AV. DAS NAÇÕES UNIDAS, 13.301, BROOKLIN. RESERVAS PARA ALMOÇOS E JANTARES: 2838-3222. INGRESSOS PARA AS AULAS: WWW.INGRESSORAPIDO.COM.BR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.