Começa restrição a caminhões na Marginal Pinheiros e na zona sul de SP

Circulação fica proibida também na Av. dos Bandeirantes, Av. Jornalista Roberto Marinho e na Av. Afonso D''Escragnole; multa é considerada infração média e custa R$ 85,12

Julia Baptista - estadão.com.br,

02 de setembro de 2010 | 08h06

SÃO PAULO - Tem início nesta quinta-feira a restrição a caminhões na Marginal do Pinheiros, na Avenida dos Bandeirantes, na Avenida Afonso D''Escragnole Taunay e na Avenida Jornalista Roberto Marinho, na zona sul de São Paulo. Os caminhoneiros ficam proibidos de circular nessas vias de segunda a sexta-feira, das 5 horas às 21 horas, e aos sábados, das 10 horas às 14 horas - exceto nos feriados.

 

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os caminhões não poderão circular nas pistas local e expressa da Marginal do Pinheiros, no trecho compreendido entre a Ponte do Jaguaré e a Ponte do Morumbi, em ambos os sentidos. As pontes e suas alças de acesso não entram na restrição.

 

Nas Avenidas dos Bandeirantes, Afonso D''Escragnole Taunay e Jornalista Roberto Marinho, a restrição vale para toda a extensão das vias, em ambos os sentidos.

 

A multa é de R$ 85,12, considerada infração média, com quatro pontos na carteira de habilitação. A fiscalização será realizada por 2.450 agentes de trânsito da CET, além de oito radares fixos. A CET afirmou que foram instaladas 753 placas de sinalização ao longo da Marginal, das avenidas e de seus acessos.

 

Trânsito

 

Medições realizadas pela CET apontam que, na Marginal do Pinheiros, houve queda de 58% no volume de caminhões em relação ao período anterior à inauguração da Nova Marginal Tietê e do trecho sul do Rodoanel. Já na Avenida dos Bandeirantes, houve queda geral de 68% no volume de caminhões em relação ao mesmo período.

A estimativa da CET é que, com a nova medida, pelo menos 80% dos caminhões deixem de transitar por estas vias. As vias não ficarão totalmente livres de caminhões já que parte deles terá autorização para trafegar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.