Começa julgamento de skinhead acusado de obrigar jovens a pular de trem

Em 2003, um jovem morreu e outro teve braço amputado após serem obrigados a pular de trem

Solange Spigliatti, estadão.com.br

28 de setembro de 2011 | 14h15

SÃO PAULO - Começou por volta das 13h15 desta quarta-feira, 28, o julgamento de Vinícius Parizatto, um dos três acusados de obrigar jovens a pularem de um trem em movimento, em dezembro de 2003, resultando na morte de um jovem e ferimentos em outro, em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo.

Em maio deste ano, o Tribunal do Júri da Vara Distrital de Brás Cubas, em Mogi, já havia condenado Juliano Aparecido de Freitas a 24 anos e 6 meses de prisão pela morte de Cleiton da Silva Leite e tentativa de homicídio de Flávio Augusto do Nascimento Cordeiro. 

Juliano e mais dois rapazes, Vinícius e Danilo Gimenez Ramos, que respondem a processos separadamente, são skinheads e obrigaram as vítimas a saltar de um trem em movimento. Cleiton morreu e Flávio perdeu o braço direito. O julgamento de Danilo ainda não tem data para acontecer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.