Começa julgamento de PMs 'Highlanders' na Grande São Paulo

Grupo de extermínio formado por policiais é acusado de decapitar duas vítimas no extremo sul da capital

Priscila Trindade, Central de Notícias

17 Março 2011 | 10h00

SÃO PAULO - O julgamento dos três policiais militares acusados de integrar um grupo de extermínio conhecido como "Os Highlanders", teve início aproximadamente as 10 horas desta quinta-feira, 17. O nome do grupo faz alusão ao filme de mesmo nome no qual as vítimas eram decapitadas.

 

Os acusados pelas mortes de dois jovens estão sendo julgados no Tribunal do Júri em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. Durante o dia, serão ouvidas 19 testemunhas, sendo 10 de acusação e nove de defesa.

 

Jorge Kazuo Takiguti, João Bernardo da Silva e Jonas Santos Bento são acusados de matar Roberth Sandro Campos Gomes, de 19 anos, o Maranhão, e Roberto Aparecido Ferreira, de 20, o Bebê. As vítimas teriam sido sequestradas pelos PMs no Capão Redondo, na zona sul de São Paulo, na madrugada de 6 de maio de 2008. Os corpos dos dois jovens foram encontrados decapitados em Itapecerica da Serra.

 

As duas vítimas foram abordadas pelos PMs e obrigados a embarcar em uma viatura. Depois eles ficaram com as mãos atadas e mataram os dois a golpes de instrumento pérfuro-cortante. Em seguida, abriram um grande corte na barriga de Roberth e deceparam as cabeças dos cadáveres, para dificultar o reconhecimento.

 

De acordo com os promotores do Ministério Público, Salmo Mohmari dos Santos Junior e Marcos de Matos, que ofereceram a denúncia, os PMs "agiram como justiceiros, em atividade típica de grupo de extermínio". Segundo a denúncia, Gomes e Ferreira foram executados porque supostamente estavam envolvidos com tráfico de drogas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.