Começa a reconstrução do Teatro Cultura Artística

Pouco mais de um ano e meio após incêndio, 1ª fase cuidará do restauro do painel de Di Cavalcanti e da fachada original

Vitor Hugo Brandalise, O Estadao de S.Paulo

21 Março 2010 | 00h00

Com a presença de arquitetos, engenheiros, restauradores e do prefeito Gilberto Kassab (DEM), foram iniciadas na manhã de ontem as obras de reconstrução do Teatro Cultura Artística, na Consolação, região central de São Paulo, consumido por incêndio em agosto de 2008. O trabalho começou pela montagem da estrutura metálica que permitirá o restauro do painel de Di Cavalcanti e da fachada original, remanescentes do incêndio e tombados pelo patrimônio histórico.

"Estamos felizes por dar esse passo, pelo qual lutamos desde que a adversidade se abateu sobre nós", disse o presidente em exercício da Sociedade Cultura Artística, Claudio Sonder. "É um grande dia para a instituição, que transformou problemas em uma grande oportunidade."

O restauro do painel - chamado Alegoria das Artes, construído com 26 mil pastilhas em 1950 - tem término previsto para junho de 2011 e será realizado por partes. A estrutura metálica que servirá de sustentação para os técnicos deve ficar pronta até maio. "Então vamos iniciar o restauro propriamente dito. Após limpeza minuciosa, serão retiradas faixas do mosaico, de 60 por 60 centímetros, para serem restauradas, num laboratório montado dentro do antigo teatro", explicou Isabel Ruas, responsável pelo projeto de restauro.

A reconstrução civil do teatro, com reformulação total do ambiente - serão mantidos apenas o painel, parte da fachada e do foyer - tem previsão de início ainda neste ano. A expectativa da Cultura Artística é inaugurar o teatro até o fim de 2012, ano em que a Sociedade completa 100 anos de fundação.

Colaboradores. A reconstrução está orçada em R$ 75 milhões, captados de empresas privadas - foram arrecadados, até aqui, cerca de R$ 20 milhões. "Estamos otimistas de que, com o início das obras, mais colaboradores venham a nos ajudar", disse o superintendente da Cultura Artística, Gerald Perret. "Após dois anos difíceis, ver a obra caminhando é uma alegria enorme."

O prefeito Kassab, que ofereceu jantar para possíveis patrocinadores em março de 2009, ressaltou a importância do teatro. "É importante para as artes cênicas do País e faz muita falta. Deve ser reconstruído com a atenção e apoio que merece."

No projeto do novo teatro, de autoria do arquiteto Paulo Bruna, em vez de duas salas, haverá uma única, com 1.406 lugares, dividida em diferentes níveis. A ideia é que permita suporte para modalidades artísticas diversas, de música orquestral a contemporânea.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.