Comandantes de PMs suspeitos de morte de motoboy são afastados

Motoboy morreu depois de ser agredido na zona sul, na madrugada deste sábado, 8

Marcelo Godoy,

10 de maio de 2010 | 15h22

 SÃO PAULO - O secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, determinou na tarde desta segunda-feira, 10, o afastamento dos comandantes Gerson Lima de Miranda, do 22º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (22º BPM/M), e Alexander Gomes Bento, da 3ª Companhia do 22º BPM/M.

 

Eles são responsáveis pelos batalhões onde atuam os quatro policiais envolvidos na morte do motoboy Alexandre Menezes dos Santos, ocorrida na madrugada de sábado zona sul de São Paulo.

 

Em nota, a Secretaria informa que os comandantes foram afastados após revelarem que não têm o comando da tropa. O órgão informa também que será apurada eventual omissão destes comandantes no campo administrativo.

 

Crime

 

Segundo a mãe do motoboy, Maria Aparecida Menezes, de 43 anos, Alexandre deixou a pizzaria onde trabalhava às 2h de sábado para ir à casa de um primo. A 200 metros do local, na Rua Guiomar Branco da Silva, na Cidade Ademar (zona sul), ele foi abordado por um policial porque sua moto estava sem placas. No entanto, ele teria ignorado as ordens de parar.

 

Por causa disso, segundo Maria Aparecida, os policiais agrediram Alexandre assim que ele desceu da moto. Depois disso, o rapaz teria sido algemado e colocado em uma viatura. Ele foi levado ao Hospital Saboya, no Jabaquara (zona sul), onde já chegou morto.

Tudo o que sabemos sobre:
Políciaviolênciaagressão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.