Fabio Mazzitelli/AE
Fabio Mazzitelli/AE

Comandante da PM fica 1 dia sem carro de luxo

Depois de anunciar que o coronel Alvaro Camilo deixaria de usar Captiva, Secretaria da Segurança Pública baixa hoje resolução que libera o carro

Fabio Mazzitelli e Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2011 | 00h00

O coronel Alvaro Batista Camilo ficou apenas um dia sem o seu Captiva. Para que ele pudesse voltar a usar o utilitário esportivo de R$ 92,9 mil que comprou para comparecer a compromissos e deslocar-se da casa para o trabalho, a Secretaria da Segurança Pública publica hoje no Diário Oficial uma resolução liberando para o comandante-geral e para o delegado-geral o uso de utilitários esportivos, os chamados SUVs (na sigla em inglês). A resolução 57 da secretaria é assinada pelo titular da pasta, Antonio Ferreira Pinto.

O argumento para liberar o uso desse tipo de carro pelo comandante-geral é de que o decreto de 1995 que determina o tipo de carro que cada autoridade do Estado pode ter não contemplava os SUVs - essa é uma categoria recente de veículos. Pela manhã, o Comando Geral da PM havia decidido suspender o uso do carro de luxo. "Por pairar dúvidas quanto ao uso do Captiva, ele deixa de utilizá-lo a partir de hoje (ontem), 28 de abril, até que seja a situação esclarecida."

O Estado revelou ontem que Camilo havia decidido comprar o carro e 61 Vectras descaracterizados para atender os coronéis da corporação. Gastou R$ 2,8 milhões com os veículos. Com o Captiva, Camilo passou a circular em um veículo mais luxuoso e caro do que o usado pelo governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), que normalmente usa Vectras e Corollas em seus compromissos e solenidades.

Pouco depois da divulgação da nota em que Camilo anunciava ter encostado o Captiva, o governador Alckmin confirmou a suspensão do uso deste veículo. Mas fez questão de elogiar o coronel. "O Alvaro Camilo é um excelente comandante, uma pessoa extremamente dedicada, corretíssima", disse. "Ele tem a nossa absoluta confiança."

Ao tomar posse, Geraldo Alckmin suspendeu o uso de Ômegas e demais blindados contratados pelo ex-governador José Serra (PSDB). "O Palácio (dos Bandeirantes) tinha um grande número de veículos blindados, que são mais caros. Então, abrimos mão. Ninguém pode usar carro blindado, que é carro mais caro. Não há necessidade."

Mas entre os motivos para liberar o uso dos SUVs para os chefes das polícias do Estado, a resolução da secretaria afirma que estão "a segurança e mobilidade exigidas para proteção de autoridades". O custo dos SUVs para eles deve ser compatível com o de carros de representação permitidos para o segundo escalão do governo.

Ontem, Camilo usou um Vectra para comparecer a um encontro com outros comandantes-gerais. O veículo usado - preto - era igual ao utilizado pelos demais coronéis da PM. O comandante não quis dar entrevista ao Estado e disse que sua posição sobre o assunto havia sido contemplada na nota oficial divulgada pela PM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.