Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

SP tem 3 km de congestionamento no horário de pico após retorno do rodízio tradicional

Cidade de São Paulo retomou medida menos restritiva para circulação de veículos nesta segunda-feira; trânsito continua abaixo do registrado há duas semanas

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2020 | 13h12

A cidade de São Paulo chegou a registrar até 3 km de congestionamento no horário de pico da manhã desta segunda-feira, 18, entre as 7h e 8h30, com a retomada do rodízio tradicional. Há uma semana, com o rodízio mais restritivo, que vetava metade das placas, a capital teve pico de 1 km de trânsito, mas enfrentou sobrecarga no transporte coletivo.

O congestionamento desta segunda é inferior ao registrado há duas semanas, no dia 4, quando a cidade chegou a ter 11 km entre as 8h e as 9h, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) coletadas na base de dados do Waze. Entre 17 de março e 10 de maio, foi permitida a circulação de todos os veículos na cidade por meio da suspensão do rodízio tradicional.

Em relação à lentidão, a manhã desta segunda teve até 8 km, registrados às 7h30, o que representa o dobro do pico da segunda-feira anterior, às 8h. Há duas semanas, no dia 4, a lentidão chegou a 21 km, também às 8h. Na tarde desta segunda, ela voltou a aumentar no início da tarde, quando chegou a 11 quilômetros por volta das 14h30.

Nesta segunda-feira, estão vetados de circular, nos horários de pico, os veículos com placas de final 1 e 2. A retomada do rodízio tradicional foi anunciada no domingo, 17, pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), após uma semana de realização do rodízio que intercalava placas com finais pares e ímpares e vigorava 24 horas por dia.

Em coletiva de imprensa nesta segunda, Covas disse que o “mega rodízio” (que vigorou por uma semana) não conseguiu cumprir o objetivo, de aumentar o isolamento social na cidade para conter a pandemia do novo coronavírus. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, a taxa de ocupação das UTIs é de 91% na rede municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.