Com uma hora e meia de atraso, portões da Linha Amarela são abertos ao público

Inauguração da Linha 4 contou com a presença da escola de samba Tom Maior; trens vão operar temporariamente das 9h às 15h entre as estações Faria Lima e Paulista

Gabriel Vituri, do estadão.com.br

25 Maio 2010 | 15h32

 

SÃO PAULO - Com quase 1 hora e meia de atraso, as entradas para a Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo foram finalmente abertas ao público. Pouco depois de o trem terminar sua primeira viagem, dezenas de curiosos desciam uma das três esteiras rolantes que interligam as estações Consolação (na Linha 2-Verde) e a Paulista, inaugurada nesta terça-feira, 25.

 

Veja também:

linkLinha 4 não abre durante finais de semana pelo menos até setembro

linkLinha 4 terá só mais duas estações até o fim do ano

linkTrens na Linha Amarela têm tecnologia de ponta

linkLinha passou por milhares de testes nos últimos meses

mais imagens Galeria de fotos da nova Estação Paulista

 

Neusa Maria era uma das que seguiam o fluxo rumo à Linha Amarela. "Vou tentar o caminho hoje para ver se compensa", disse, referindo-se ao trajeto até o local onde trabalha, na Rua Vital Brasil. Para ela, a inauguração da Estação Butantã será ainda melhor, já que é mais próxima de seu destino final.

 

Da plataforma de embarque na Consolação já era possível ouvir a bateria da escola de samba Tom Maior, que exaltava a inauguração com versos de "Lá vem ela, é a nossa Linha Amarela". Arriscando alguns passos de samba em cima da esteira, o público tirava fotos e parava para dar entrevistas - isso causou, inclusive, um pequeno congestionamento que levou a organização a paralisar o sistema da esteira.

 

O taxista Marcos Roberto dos Santos, de 43 anos, considera a inauguração um "momento histórico". Santos diz que aproveitou a folga para curtir o evento e acredita que a Linha 4 será excelente. Para ele em particular, existe um significado especial: "Estive na inauguração do primeiro Metrô na cidade, em Santana. Espero que este não seja o último", diz, esperançoso.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.