Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Com temperatura em elevação, São Paulo pode bater novo recorde de calor do ano

Máxima prevista para este domingo é de 34ºC; nas horas de maior aquecimento, índices de umidade devem oscilar entre 12% e 20%

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2020 | 11h42

 A cidade de São Paulo terá mais um dia de calor e baixos índices de umidade neste domingo, 13, após registrar a tarde mais quente do ano neste sábado, 12, com 34,1ºC, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura da capital.

A máxima prevista é de 34°C para este domingo e por conta disso há possibilidade de um novo recorde de calor do ano, superando os 33,7°C registrados no dia 1º de janeiro de 2020. Nas horas de maior aquecimento, os menores índices de umidade oscilam entre 12% e 20%.

Segundo as estações meteorológicas do CGE, neste sábado a máxima absoluta, 36,0°C, foi observada no bairro de Itaquera, na zona leste. Esses valores são muito elevados para essa época, pois a média das máximas do CGE para setembro é de 25,6°C.

De acordo com o CGE, também foi a tarde mais seca do ano. A média dos menores índices de umidade foi de 21,9%, inferior ao reportado na última quinta-feira, 10, 23,4%. O menor percentual absoluto deste sábado, 17,1%, foi de Cidade Ademar, na zona sul.

Nesta segunda-feira, 14, o calor e os baixos índices de umidade permanecem na cidade. A temperatura máxima alcança os 33ºC e a umidade oscila abaixo de 30% nas horas mais quentes. Entre o fim da tarde e a noite, os ventos passam a soprar do quadrante sul, o que vai proporcionar significativo aumento de umidade e de nebulosidade. Há possibilidade de chuviscos. A temperatura apresenta acentuado declínio e a mínima de 19°C será observada no final da noite.

Na terça-feira,15, o dia começa com céu encoberto e garoa ocasional o que vai facilitar acentuada queda de temperatura e o aumento dos índices de umidade do ar. Os termômetros oscilam entre 16°C na madrugada e 22°C no início da tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.