Com tema abstrato, Dragões da Real desfila confiante

Escola mostrou eventos inacreditáveis pelo olhar de jovem Tomé; desfile foi cheio de referências a filmes e histórias conhecidas

Fabiana Cambricoli, Felipe Resk; Mônica Reolom e Paula Félix, O Estado de S. Paulo

14 Fevereiro 2015 | 04h33

SÃO PAULO - Consolidada no Grupo Especial do carnaval de São Paulo, a Dragões da Real entrou no Anhembi na madrugada deste sábado, 14, com um enredo subjetivo, mas cheio de referências a filmes, personagens e histórias conhecidas pelo público. Já na comissão de frente, a escola teve o personagem Willy Wonka, do filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate”. A produção de doces coloridos foi apresentada pelo grupo.

Com o enredo “Acredite se Puder”, a ideia da agremiação era mostrar eventos inacreditáveis pelo olhar de um jovem chamado Tomé, como o apóstolo de Cristo, que era acompanhado por um dragão, o símbolo da escola.

Atlântida, a cidade perdida, foi apresentada na terceira alegoria, que tinha seres do fundo do mar e espalhou bolinhas de sabão pelo Anhembi. Os personagens do desenho “Os Jetsons” estavam na quarta alegoria. O desfile terminou com o sonho da escola de ganhar seu primeiro título na elite do samba: um dragão segurando uma taça estava no último carro. Vermelho, preto, dourado e cores fluorescentes foram apostas da escola.

O presidente da escola Renato Rodrigues explicou a preferência por temas abstratos. “Não fica na mesmice. A gente gosta de brincar com o lúdico, colocar uma interrogação na cabeça das pessoas.” Da concentração ao fechamento dos portões, a escola desfilou confiante e soltou um grito de “É campeão” ao término da apresentação.

Mais conteúdo sobre:
Carnaval Dragões da Real

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.