Com sede fechada, Igreja Mundial deve transferir cultos ao Canindé

Os cultos realizados na sede da Igreja Mundial no Brás, na região central, nos domingos de manhã, com transmissão ao vivo pelo Canal 21, devem ser transferidos para o Estádio do Canindé, da Portuguesa, na zona norte de São Paulo. Uma liminar concedida pela juíza Maria Gabriella Pavlopoulos Spaonzi, da 13.ª Vara da Fazenda Pública, determinou na segunda-feira o fechamento do templo por falta de alvará de funcionamento, superlotação e obstrução ao trânsito, entre outras irregularidades. O imóvel ocupa uma área de 110 mil metros quadrados.

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2010 | 00h00

Desde ontem, os cultos estão suspensos na sede da igreja, na Rua Carneiro Leão. No início da noite, dezenas de fiéis foram para a vigília realizada às terças-feiras no local. Sem saber da interdição, eles foram recebidos do lado de fora por dois pastores. Assinaram um abaixo-assinado que tem como objetivo pressionar as autoridades a conceder um alvará definitivo para o templo. O documento foi pedido pela igreja em setembro de 2007 e está em análise na Secretaria Municipal de Habitação, sem prazo para ser expedido.

O grupo de religiosos também fez orações "para iluminar a mente das autoridades e da juíza". Na TV, o bispo Valdemiro Santiago, fundador e líder da Igreja Mundial, pediu apoio dos fiéis para pressionar a Prefeitura. Procurada, a direção da igreja não quis se pronunciar oficialmente. No início da noite de ontem, a reportagem tentou entrar em contato com a Portuguesa, mas não conseguiu confirmar a transferência dos cultos para o Canindé. Entre dezembro e fevereiro deste ano, quando o templo do Brás foi lacrado pela Prefeitura, os cultos foram realizados no estádio por seis domingos seguidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.