Com rodízio para caminhões, lentidão em SP cai 69%

Desde o início do rodízio de caminhões até as 10 horas desta quarta, 1.666 caminhões foram multados

Fabiana Marchezi, estadao.com.br

30 de julho de 2008 | 16h14

O terceiro dia do rodízio para caminhões no Mini-Anel Viário de São Paulo bateu recorde em termos de redução de lentidão: 69% menos do que a média registrada nas duas últimas quartas-feiras de julho do ano passado. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego, a extensão média da lentidão desta manhã, entre 7h e 10h, ficou em 20 quilômetros, contra a média de 66 quilômetros, registrada nas duas últimas quartas-feiras de julho de 2007, após o restabelecimento do rodízio municipal de veículos. Veja tambémAcompanhe a situação do trânsito rua-a-rua Entenda as novas medidas contra o trânsito Conheça o histórico do trânsito na cidade  Ao longo do horário de pico desta manhã, a maior redução foi às 8h30, quando foram verificados 13 quilômetros de lentidão, contra 79 quilômetros na média das duas últimas quartas-feiras de julho do ano passado, ou seja, uma diferença de 66 quilômetros. Percentualmente, representa uma queda de 84%.  Especificamente na Marginal do Tietê, nesta quarta-feira, 30, houve uma redução de 89% do congestionamento ao longo do dia, em comparação com a primeira quarta-feira de agosto de 2007, na semana de volta às aulas. Nos corredores da Marginal do Pinheiros e da Avenida dos Bandeirantes, a queda no nível de lentidão foi de 59% e 11% respectivamente, na mesma comparação anterior.  Multas  Desde o início do rodízio de placas para os caminhões até as 10 horas desta quarta-feira, 30, 1.666 caminhões foram multados por desobedecerem ao rodízio municipal. Na manhã de segunda-feira, 28, primeiro dia do rodízio, foram autuados 476 veículos. Já na manhã desta quarta, o número caiu para 284. Segundo a CET, a quantidade de multas está caindo, o que demonstra a adesão, cada vez maior, de caminhoneiros e empresas de transportes de carga.  Fabiana Marchezi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.