Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

SP tem nova queda nas internações por covid e fechará hospital de campanha do Ibirapuera

Último paciente terá alta neste sábado, 26; média diária de internações no Estado é a menor ao menos desde abril

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2020 | 14h14

 

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira, 25, o encerramento das atividades do hospital de campanha do Complexo do Ibirapuera, na capital paulista, em 30 de setembro. A decisão foi tomada após o governo avaliar que a pandemia do novo coronavírus está estabilizada no Estado. 

Um dos principais dados que embasou a decisão foi a queda nas internações. Na última semana epidemiológica, de 13 a 19 de setembro, a média diária foi de 1.266 internações, a menor registrada ao menos desde abril. A parcial deste semana, que inclui apenas dados de domingo, 20, até quarta-feira, 23, indica a mesma tendência, com média de 1.110.

O hospital funcionou durante cinco meses, período em que 3.189 pacientes de 106 municípios foram atendidos. Ao todo, tinha 268 leitos, dos quais 28 eram de UTI. “Foi fundamental no enfrentamento da covid-19”, declarou Doria em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes. 

Ele será o último hospital de campanha a encerrar as atividades na cidade de São Paulo. Semanas antes, também foram fechados os espaços abertos pela Prefeitura no Complexo do Anhembi e no Estádio do Pacaembu.

De acordo com o governo estadual, o último paciente terá alta neste sábado, 26. O mobiliário e outros itens, como colchões, chuveiros e torneiras, serão destinados a entidades de assistência e unidades de saúde pública.

Embora o Estado tenha apresentado alta na média diária de óbitos na semana epidemiológica 38, com aumento de 8%, o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que o cenário é de "estabilidade” e até apresentou dados parciais que indicam que a próxima semana epidemiológica deverá ter queda.

“A taxa de ocupação de UTI é a melhor de todo o Plano São Paulo”, destacou. A média mais recente é de 46,3% no Estado, enquanto é de 45,3% na Grande São Paulo. “Com esses índices, existe a possibilidade de fazer com que hospitais que focaram exclusivamente o atendimento na covid-19 possam ser encerrados”, justificou.

Ao todo, o Estado tem 964.921 casos e 34.877 mortes confirmados da doença. Há, ainda, 3.672 internados na UTI com suspeita ou confirmação da doença, número que é de 4.799 no caso de pacientes em leitos de enfermaria. 

A estimativa é que o número de óbitos chegue entre 35 mil e 38 mil até 30 de setembro, enquanto estará entre 960 mil e 1 milhão para os registros de casos.

Na coletiva, o secretário ainda afirmou que o Estado está fazendo um retorno “gradual” das atividades não relacionadas à covid-19 em unidades de internação, a começar pelos hospitais cardiológicos e maternidades que estavam recebendo pacientes com a doença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.