''Com Piazzolla descobri essa cidade louca''

A cantora argentina Amelita Baltar veio a São Paulo esta semana e se apresentou no Memorial da América Latina, na sexta-feira. No repertório, estavam diversas canções do ex-marido, um dos maiores ícones do tango portenho do último século: o bandeonista e compositor Astor Piazzolla (1921-1992). Foi acompanhando-o que Amelita veio para São Paulo pela primeira vez em 1971 e começou a adorar essa cidade "louca", que já visitou dezenas de vezes.

Amelita Baltar, cantora argentina, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2010 | 00h00

Visitas. "Já vim a São Paulo umas 30 ou 40 vezes, nem me lembro ao certo do número. E eu adoro a cidade. Os argentinos habitualmente gostam mais do Rio. Realmente, o Rio é lindo, maravilhoso, mas São Paulo é melhor ainda."

Centro. "Estou ficando agora num hotel no centro e percebo que essa região melhorou muito. Anteriormente era horrível, uma coisa meio sórdida, não sei. Agora tem mais população, mais gente. Muitas coisas melhoraram em São Paulo nos últimos anos."

Verde. "Buenos Aires tem bons restaurantes, mas os restaurantes de São Paulo são muito mais lindos e originais. A comida aqui é muito boa. E vocês tem a vantagem de ter vegetação no meio da cidade, o que é muito legal. Nós não. Em Buenos Aires, não há nem uma plantinha. Temos só tijolos e asfalto". / RODRIGO BURGARELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.