Com o mecanismo, custo dos imóveis é diluído

Para o empreendedor, as outorgas onerosas são interessantes porque criam uma economia de escala. Ou seja, o custo de cada unidade é diluído, uma vez que se pode construir mais unidades no mesmo empreendimento. Esse mecanismo cria uma facilidade para que o comprador adquira seu imóvel. Como ele fica mais barato, muita gente pode comprar. Do ponto de vista da cidade, o fundo também é interessante, desde que seja bem aplicado. O dinheiro arrecadado é alocado em um fundo específico, para que não seja colocado no caixa e gasto em salários.

ANÁLISE: Claudio Bernardes, presidente do Secovi-SP, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2014 | 02h05

Como há um limite de estoque por distrito, grande parte da cidade já foi esgotada, exceto nos locais que não têm interesse do mercado. Em muitos casos, os municípios limítrofes dos locais onde acabou o estoque têm alta incidência de lançamentos de empreendimentos.

O mercado tenta sempre equilibrar oferta e demanda, mas se não for possível ele vai para outro município. O interessado vai morar lá, mas continua trabalhando em São Paulo. Então, isso tem um efeito negativo, que é piorar o deslocamento na cidade. O que está proposto para a revisão do Plano Diretor é que nos eixos de transporte a outorga ficará um pouco mais barata, estimulando o adensamento. Mas, fora dos eixos, a outorga aumentará, dificultando, portanto, a viabilização de empreendimentos a preços competitivos fora dos eixos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.