Com medo das chuvas, Haddad dá R$ 85 mi à coleta

Liberação de recursos visa a reduzir riscos de enchentes na cidade, com ações emergenciais em favelas, beiras de córrego e ocupações ilegais

DIEGO ZANCHETTA, O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2013 | 14h37

O prefeito Fernando Haddad (PT) liberou ontem R$ 84,6 milhões para serviços de coleta de lixo. A medida visa a reduzir riscos de enchentes com ações emergenciais em favelas, beiras de córregos e ocupações ilegais, onde desde ontem equipes das concessionárias Loga e Ecourbis trabalham para retirar o lixo acumulado.

Com a liberação, Haddad conclui a concessão de reajuste nos contratos do lixo retroativo a 2009, apontado como necessário em estudo de 2012 da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A não concessão do aumento foi um dos argumentos das empresas para não ampliar a coleta seletiva e a instalação de contêineres na periferia.

No dia 28, o governo anterior e a equipe de transição decidiram adiantar R$ 117,4 milhões à Loga. Ontem, a Ecourbis recebeu R$ 84,6 milhões. Os recursos também pagam investimentos feitos nos últimos anos pelas duas concessionárias, como a renovação da frota e o aumento de pontos de coleta de resíduos hospitalares - os pontos em unidades de saúde saltaram de 4 mil em 2004 para 13 mil no ano passado e cada concessionária adquiriu 20 novos caminhões.

Os donos da Loga e da Ecourbis se reuniram na quarta-feira com o secretário de Serviços, Simão Pedro, que pediu uma lista de medidas emergenciais que as empresas avaliam como necessárias para a cidade ficar mais limpa. O reequilíbrio dos contratos deu novo fôlego financeiro às concessionárias do lixo às vésperas das chuvas de verão, na avaliação de técnicos. Ontem, as empresas já colocaram funcionários para retirar lixo de favelas das zonas norte e leste.

O governo também cobrou das empresas melhora da coleta de regiões comerciais do centro e nos bairros e a ampliação da coleta seletiva, que hoje atinge apenas 1% das 17 mil toneladas de resíduos retirados da capital todos os dias. O secretário de Serviços pediu às empresas instalação imediata de contêineres em áreas do comércio popular do Bom Retiro, Brás, Pari, Santa Ifigênia e 25 de Março para facilitar o recolhimento do lixo que tem entupido os bueiros.

Mobilização. O prefeito tem mobilizado sua equipe de secretários para cobrar mais empenho das empresas de limpeza e varrição, além de fiscalizar os serviços com maior rigor. / COLABOROU BRUNO PAES MANSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.