GABRIELA BILO / ESTADAO
GABRIELA BILO / ESTADAO

Com homenagem a Rita Lee, bloco lota ruas de Pinheiros

Ritaleena tocou músicas da roqueira em ritmo de samba, frevo e até dance; Linha Amarela do Metrô chegou a ter acessos fechados

Alexandre Hisayasu, O Estado de S. Paulo

18 Fevereiro 2017 | 21h55

Durante a tarde deste sábado, 18, os acordes de Doce Vampiro, clássico de Rita Lee, tomaram conta das imediações da Rua dos Pinheiros, na zona oeste da capital, e levaram foliões a saírem do chão. Milhares acompanharam o bloco Ritaleena, que toca músicas da roqueira em ritmos como samba, frevo e até dance. 

Uma das organizadoras, Marina Pita, disse que todo cuidado foi tomado para evitar grandes aglomerações. "Temos grupo monitorando o trânsito e outros blocos para não correr risco de tumulto", contou. A Polícia Militar não informou a estimativa de público dos blocos de carnaval. 

Fantasiado de marinheiro, o publicitário André Mendes, de 26 anos, já se tornou fã do bloco. "É a minha primeira vez aqui, mas misturar Rita Lee com carnaval é fantástico. Vou voltar no ano que vem". 

Para a aposentada Sandra de Barros, de 52 anos, o carnaval na cidade está "ficando cada vez mais amistoso". Fantasiada  de Rita Lee, ela foi para a folia junto com o marido. "Aqui é uma festa onde tem jovens, família com crianças. Todo mundo brinca, é para todas as idades", afirmou.

Carioca, a consultora de imagem Mônica Registro, de 38 anos, mora há 10 anos em Pinheiros e vai sempre se divertir nos blocos que passam pelo bairro. "As pessoas daqui são mais respeitosas do que no Rio. Mas, exige também uma certa falta de interação", contou.

Com o encontro de blocos que cruzaram o bairro, uma multidão tomou conta do Largo da Batata, na zona oeste. O trânsito na região também ficou bastante congestionado. 

Estações de Metrô da Linha 4-Amarela, como a Fradique Coutinho e a Faria Lima, chegaram a ter um dos acessos fechados durante a tarde. Procurada, a Via Quatro informou que tomou a medida de segurança por causa do grande fluxo de pessoas. Disse ainda que em nenhum momento houve interrupção de funcionamento ou fechamento total das estações. Segundo a empresa, a circulação de trens neste sábado foi semelhante a de dias de semana. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.