Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Mesmo com GCM e câmera, 'Arcos do Jânio' são pichados no centro

Ação durou ao menos 30 minutos na madrugada de sábado; Prefeitura iniciou remoção da tinta nesta segunda

Priscila Mengue e Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

07 Maio 2018 | 18h18
Atualizado 07 Maio 2018 | 21h49

SÃO PAULO - Também conhecidos como "Arcos do Jânio", os Arcos da Rua Jandaia foram pichados na madrugada de sábado, 5, na Bela Vista, no centro expandido da cidade de São Paulo. Parte da ação foi registrada por equipamentos do programa City Câmeras da Prefeitura. O procedimento durou ao menos 30 minutos. 

++++ Foto de pichações é vendida por até R$ 2,2 mil

Nas imagens, um homem aparece preso a uma corda (como se estivesse praticando rapel) enquanto escreve as iniciais "BTH" com tinta branca, contornadas por tintas preta e azul. O sistema mostra, ainda, que havia uma viatura da Guarda Civil Metropolitana (GCM) estacionada próxima ao local no momento da ação - que começou às 3h37.

+++ Doria retira grafites dos 'Arcos do Jânio'

A Prefeitura informou, em nota, que a limpeza do local está sendo feita. "Uma equipe do Departamento do Patrimônio Histórico acompanha o trabalho para, assim, preservar as características originais deste bem histórico", declarou.

+++ Haddad ironiza grafite que homenageia 'Chaves': 'Agora é pra valer'

Sobre os custos, a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) disse que não há um valor específico para remover a pichação. "Os trabalhos fazem parte do serviço de limpeza de monumentos e integram a tarifa mensal global paga às empresas."

Segundo a gestão municipal, a gravação "já está sendo disponibilizada para que a Polícia Civil possa realizar a investigação". A Prefeitura disse ainda que a Secretaria Municipal de Segurança Urbana (SMSU), responsável pela GCM, vai reavaliar a melhor estratégia de patrulhamento.

Já a Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo informou que a Polícia Civil registrou o caso como pichar, grafitar ou por outro meio conspurcar edificação ou monumento urbano no 78° Distrito Policial (Jardins), mas foi encaminhado ao 5° DP (Aclimação) para investigação.

"As imagens serão analisadas para auxiliar na identificação dos autores", afirmou a SSP, em nota.

Grafite e pichações

Em julho de 2017, os arcos foram reinaugurados pelo então prefeito João Doria (PSDB), após passarem por um processo de pintura e retirada de pichações e grafites. O local é tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental de São Paulo (Conpresp) desde 2002, dentro de uma resolução que abarca diversos imóveis do bairro da Bela Vista.

Se forem identificados, os envolvidos na pichação podem ser multados em até R$ 10 mil. Eles também podem responder por crime ambiental.

De acordo com a Prefeitura, desde janeiro de 2017 até o início de maio de 2018, a GCM realizou 160 detenções por pichação na cidade. Em função disso, a Secretaria das Prefeituras Regionais, até março, aplicou 118 multas no valor total de R$ 645.063, com base na Lei nº 16.612, que visa combater as pichações no município e está em vigor desde fevereiro de 2017.

"Somente no ano passado, foram efetuadas 107 autuações. Do total de multas aplicadas, 12 tiveram o valor de R$ 10.000 por danificarem monumento público ou bem tombado", disse a gestão municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.