Com entusiasmo menor da torcida, Império fala de sustentabilidade

A escola mostrou na avenida como a revolução industrial trouxe consequências negativas para o meio ambiente

Bárbara Ferreira Santos e Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

02 Março 2014 | 05h53

Conhecida por preferir gente da comunidade para integrar a comissão de frente e boa parte dos destaques, a Império de Casa Verde tentou fazer bonito ao trazer um tema difícil para a avenida: sustentabilidade.A plateia teve dificuldade para entender as fantasias e alegorias da agremiação da zona norte, o que fez o entusiasmo da torcida ser menor.

A escola mostrou na avenida como a revolução industrial trouxe consequências negativas para o meio ambiente e representou o papel do homem no processo de poluição e superaquecimento terrestre. "Vamos dar um fim à poluição", diz trecho do enredo da Império de Casa Verde. A fantasia dos diretores de ala e de harmonia da escola é de gari. A Império também trouxe como opção de transporte não poluente a bicicleta.

Peixes com máscaras de mergulho e sujeira no mar, chuveiros e touca de banho e Poseidon, o rei dos mares, são os elementos de duas alas e um carro alegórico da Império. As alas e o carro representaram o atual estágio de poluição dos mares, o desperdício de água por ação humana e a escassez de água potável na Terra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.