Com doença avançada, mulher recusa cirurgia

Sem opção terapêutica, paciente quer ir para casa e ficar com a família

O Estado de S.Paulo

28 Abril 2013 | 02h04

Hospitalizada e sem conseguir movimentar o lado direito do corpo em consequência de um câncer de ovário em estágio avançado, Maria Sueli Raphael, de 61 anos, optou por não se submeter a uma cirurgia para remover tumores que estão alojados em sua cabeça. A cirurgia não curaria o câncer nem devolveria a ela os movimentos perdidos, mas permitiria a realização de algumas sessões de radioterapia, o que é contraindicado na condição atual porque poderia piorar sua condição.

"O que mais me agride, o que mais me angustia, é não conseguir mais mexer meu lado direito. Antes eu fazia tudo sozinha, agora sou dependente", disse a paciente. Maria Sueli está internada há quase duas semanas no leito 36 do Hospital do Servidor Estadual de São Paulo recebendo cuidados paliativos, já que sua doença está em fase terminal. Apesar do prognóstico delicado, Maria Sueli não desanima e sorri o tempo todo. "A gente vem aqui para tentar confortá-la e é ela que nos conforta. Ela tem garra de viver", diz, emocionada, Silvia Helena Fernandes Binotti, de 49 anos, irmã da paciente.

Na quarta-feira, Maria Sueli estava rodeada por três irmãos, dois sobrinhos e pelo marido - eles deixaram para trás um dia de trabalho no interior para passar mais tempo com ela. Na ala de cuidados paliativos, as visitas são liberadas das 9h às 21h.

Maria Sueli abriu um largo sorriso quando o Estado perguntou se ela gostaria de contar sua história. "Minha história é maravilhosa. Sou casada há 43 anos, tenho 4 filhos, 5 netos, sou a filha mais velha de 13 irmãos", disse, antes de começar a descrever detalhes de como o câncer foi roubando sua vida.

O diagnóstico foi há quatro anos e lhe rendeu dezenas de sessões de quimioterapia. No meio deste mês, Maria Sueli sofreu um derrame que paralisou o lado direito do seu corpo. Sem outra opção terapêutica, ela quer receber alta e ir para casa ficar junto de sua família. / F.B

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.