Com discurso de união, novo secretário de Segurança toma posse

Por "complexidade da questão", Prefeitura e Estado precisam estar juntos, disse Ítalo Miranda Junior

Edison Veiga, O Estado de S. Paulo

02 de abril de 2015 | 18h45

Foram discursos afinados, enfatizando que a “complexidade daquestão da segurança” não pode ser resolvida isoladamente nem pelo Estado, nempela Prefeitura. Assim tomou posse na tarde desta quinta, 2, no auditório doEdifício Matarazzo, no centro de São Paulo, o novo secretário municipal deSegurança Urbana, Ítalo Miranda Junior.

Delegado de classe especial, ele assumiu o cargo antesocupado por Roberto Porto, atualmente controlador geral do município. Professorde investigação criminal da Academia de Policia Civil do Estado de São Paulo,Miranda trabalhou nos municípios de Óleo, Timburi, Ourinhos, Torrinha, Brotas,Rio Claro, Piracicaba, Guarulhos e Mairiporã. Na capital, ficou conhecido porconduzir o inquérito do caso do ex-cirurgião Farah Jorge Farah.

“A educação é a chave de uma sociedade livre do crime”,frisou o novo secretário, em seu discurso de posse. Ele falou ainda sobre aimportância de ações conjuntas com a secretaria estadual de SegurançaPública.  Na sequência, o prefeitoFernando Haddad (PT) também pediu união, clamando por mais “interação com ascorporações do Estado”.

Cracolândia. Após a cerimônia de posse, o secretário comentou sobre osprincipais problemas que sua pasta deve enfrentar concretamente pela cidade.Sobre a região da cracolândia, Miranda deixou claro que entende os que lá estãocomo doentes, e não como criminosos. “E estou certo de que a Guarda CivilMetropolitana irá fazer o trabalho necessário para amenizar a situação”,  disse. “Defendo ações preventivas e não arepressão. É uma batalha da paz. Trata-se de problema de saúde.”

Ele afirmou que pensa em intensificar as operações Delegadae Delegadinha, “até porque é uma forma de ajudar os profissionais que podemtrabalhar honestamente em seus períodos de folga”. “Isso foi um pedido, aliás,do prefeito”, contou.

Miranda assume o cargo em meio a um processo derequalificação da GCM, que acaba de aumentar em 15% o seu contingente.Entretanto, tem pela frente o fato de que as funções da guarda foram ampliadas– agora cabe a esses agentes também fiscalizar a limpeza urbana. “É umasituação atual, já que a administração entendeu que havia uma dificuldade deoutros setores realizarem esse trabalho. Vamos tentar desempenhá-lo da melhorforma possível”, pontuou o novo secretário.

Mais conteúdo sobre:
segurançaSão Pauloprefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.