Luis Moura/Estadão
Luis Moura/Estadão

Com chuvas de março, cidade do interior de SP suspende rodízio

Em Santa Bárbara d'Oeste o nível das represas chegou a 100%, mas o estado de emergência será mantido

Rene Moreira, Especial para O Estado

31 Março 2015 | 15h21

FRANCA - O nível das represas chegou a 100% em Santa Bárbara d'Oeste (SP) e os cortes de água foram suspensos. De dezembro a março choveu na cidade 867 milímetros, índice que foi suficiente para encher as três represas que abastecem a população. Por enquanto, não deve voltar a faltar água na cidade, mas o estado de emergência está mantido porque a época de seca se aproxima e a situação pode se complicar outra vez.

Os moradores enfrentam problemas com o abastecimento desde o ano passado. Primeiro, tiveram de encarar cortes frequentes de água. Depois, ela voltou às torneiras sem interrupção, porém, em alguns períodos com vazão reduzida. Agora, com os reservatórios cheios, o líquido passa a ser distribuído normalmente no município, que, no entanto, continuará com as campanhas de consumo consciente.

De acordo com o Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Santa Bárbara d'Oeste, o estado de emergência continua por precaução. O órgão não descarta reduzir de novo o fornecimento se os reservatórios voltarem a ter queda. A cidade é abastecida pelas represas do Cillo, Areia Branca e São Luiz.


Medidas. A medição da chuva é feita pelo pluviômetro instalado no Parque das Águas, próximo às represas. Oficialmente, a prefeitura local nega que tenha ocorrido racionamento, mas segue com as obras emergenciais para buscar normalizar o abastecimento no município durante o período de estiagem. E manterá a campanha de conscientização denominada "Água - Combate ao desperdício", com a distribuição de cartazes e folhetos explicativos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.