Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Com chuva, todos os sistemas hídricos sobem

Cantareira registrou primeira melhora após 20 dias e opera com 19,7% da capacidade; no período, manancial caiu cinco vezes

O Estado de S. Paulo

11 Maio 2015 | 09h21

SÃO PAULO - O Sistema Cantareira, que abastece cerca de 5,4 milhões de pessoas na Grande São Paulo e na capital, teve o primeiro aumento de volume de água nos últimos 20 dias. O sistema subiu 0,2 nesta segunda-feira, 11, e registra 19,7% de sua capacidade. Choveu 23,5 milímetros no período, quase toda a pluviometria acumulada no mês, que é de 30,3 mm. A média histórica para maio é de 78,2 mm de chuvas. Todos os outros sistemas de São Paulo registraram aumento. É o que revelam dados diários divulgados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

A última vez que o Cantareira havia registrado melhora foi no dia 21 de abril. Na ocasião, o nível do manancial estava em 20,1%. Desde então, houve perdas de água represada sucessivas nos dias 28 e 30 de abril, 2, 4 e 8 de maio.

Segundo o cálculo que considera o volume negativa da represa, que passou a ser divulgado pela Sabesp em abril após ordem da Justiça, o nível está em -9,5%. Pelo terceiro índice, o manancial opera com 15,3% de sua capacidade. No terceiro conceito, o volume armazenado é dividido pelo volume útil somado às duas cotas da reserva técnica.

Outros sistemas. Além do Cantareira, todos os outros sistemas registraram melhora no período. Guarapiranga e Alto Cotia subiram 0,9 ponto porcentual e estão, respectivamente, em 81% e 66,4% de suas capacidades. Rio Grande teve aumento porcentual de 0,8 e agora acumula 95,6%. Rio Claro subiu 0,6% e chega a 53,3%. Alto Tietê também melhorou e foi para 22,9% - 0,3 ponto porcentual a mais do que no domingo, 10.

Mais conteúdo sobre:
cantareiracrise da água

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.