Com chuva e Indy, SP bate recorde de trânsito de manhã

Às 9h30, havia 168 km de lentidão; bloqueio de pista da Marginal do Tietê para treinos teve reflexos até na Rodovia Ayrton Senna

ARTUR RODRIGUES , CAMILA BRUNELLI, O Estado de S.Paulo

28 Abril 2012 | 03h01

No dia em que a Marginal do Tietê teve parte da pista local fechada para os treinos da Fórmula Indy, o índice de congestionamento pela manhã bateu o recorde do ano. Às 9h30, havia 168 quilômetros de lentidão, agravados pela chuva e pelo fato de ser sexta-feira, saída do feriado.

A Marginal do Tietê tinha 11 km de congestionamento no sentido Castelo Branco. O bloqueio da pista local na altura da Ponte das Bandeiras se refletiu em várias partes da cidade, principalmente na zona leste. A Radial Leste atingiu 4,5 km de congestionamento por volta das 13h. Na Rodovia Ayrton Senna, sentido capital, a lentidão ia do km 29 ao km 11.

Apesar disso, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) minimizou os efeitos do bloqueio da Marginal. "Todos sabem que, quando chove, em especial em uma sexta-feira, o trânsito fica mais complicado", disse. "Depois, temos véspera do feriado e soubemos já que houve um número maior de acidentes do que os dias normais. A rede de energia caiu, os semáforos pararam." Para o prefeito, apesar dos problemas, o saldo da prova de automobilismo para a cidade é positivo.

Feriado. No fim da tarde, o índice de trânsito até ficou abaixo do esperado: 97 km de congestionamento às 19h. O pico foi registrado duas horas antes, 107 km.

Nas estradas, houve trânsito na saída e alguns acidentes. Pouco antes das 19h, um atropelamento no km 14 da Rodovia dos Imigrantes no sentido litoral complicou o trânsito local. A partir desse ponto, o tráfego fluía bem e o motorista só reduzia a velocidade na chegada a São Vicente pela Imigrantes, onde havia lentidão do km 61 ao km 65 e na chegada a Santos pela Anchieta, com filas do km 63 ao km 65.

Na Ayrton Senna, o tráfego seguia lento do km 11 ao km 25, no sentido Guarulhos, por causa do excesso de veículos. Já na direção da capital, o trânsito era lento do km 26 ao km 23, como reflexo de um caminhão que quebrou no acesso da Jacu-Pêssego.

Já quem precisou pegar a Bandeirantes para sair da capital desacelerou entre o km 50 e o km 52 no sentido interior. Na Anhanguera, houve congestionamento do km 57 ao km 61, na região de Jundiaí, por excesso de veículos.

Uma das maiores filas era na Via Dutra, com trânsito entre o km 231 o km 205, por causa de um veículo quebrado na pista. Já na Rodovia Presidente Castelo Branco, o excesso de veículos deixou o tráfego lento entre o km 19 e o km 24, entre Osasco e Barueri, no sentido interior.

Às 22h, as principais estradas já não apresentavam lentidão. Só a Régis Bittencourt tinha problemas - 7 km de engarrafamento - nas proximidades da Serra do Cafezal.

Retorno. Hoje, as concessionárias ainda preveem pontos de congestionamento e recomendam que o motorista evite viajar das 8h às 13h. Para quem pretende deixar para voltar mais tarde, vale lembrar que a duplicação do trecho de planalto da Rodovia dos Tamoios deve começar na quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.