Aline Cavalcante
Aline Cavalcante

Com bike na rotina há 10 anos, pedido é por mais ciclovias em SP

Aline Cavalcante também alerta para os perigos enfrentados pelos ciclistas na cidade, especialmente as mulheres

Léo Martins e Sandy Oliveira, especiais para o Estado

20 de setembro de 2019 | 13h00

SÃO PAULO - Aos 33 anos, Aline Cavalcante incluiu de vez o uso da bicicleta em sua rotina há 10 anos. A vantagem de morar relativamente perto do trabalho a levou a mudar sua forma de se locomover e transformar em hábito as pedaladas diárias em São Paulo.

“Eu queria juntar dinheiro, economizar. Eu não tinha noção de quanto o carro tem impacto negativo na nossa vida. Não só na economia, mas na cidade. A poluição do ar, violência no trânsito.”

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Precisamos continuar pressionando para que os governos continuem avançando com essa agenda, continuem construindo ciclovia
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Aline Cavalcante, gestora de projetos

Além da bike, a gestora de projetos usa o transporte público com frequência, mas como segunda opção.

Os trajetos do dia a dia nem sempre são uma boa opção para a ciclista que escolhe outros atalhos, por falta de segurança.

“Já deixei várias vezes de fazer alguns caminhos por medo de ser assaltada, por medo de violência contra o meu corpo, e a bicicleta - ela é bem mais vulnerável no trânsito. E o fato de ser mulher, numa cidade que não respeita os veículos mais frágeis como pedestre e ciclista,  acaba acumulando essas fragilidades.”

Hoje, Aline é mãe, o que para ela torna esse desafio diário um pouco mais desafiador.

“Acho que tem muita coisa que tem que ser feita. Para que de fato o ato de andar de bicicleta, andar a pé, seja cada vez mais acolhido na cidade, seja cada vez mais bem-vindo, precisamos continuar pressionando para que os governos continuem avançando com essa agenda, continuem construindo ciclovia.” 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.