Clayton de Souza
Clayton de Souza

'PPP da Habitação é nova oportunidade de negócio', diz secretário

Secretário Estadual da Habitação, Rodrigo Garcia explica importância da Parceria Público-Privada (PPP) para a construção de moradias populares

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

18 Abril 2016 | 08h38

1. Qual a importância da iniciativa privada para alavancar projetos de moradia popular em São Paulo?

Fundamental. Sem o parceiro privado não conseguimos estabelecer esse novo modelo de construção de Habitação de Interesse Social (HIS). A PPP (Parceria Público-Privada) atrai um setor do mercado imobiliário diferente daquele que participa, por exemplo, do Minha Casa Minha Vida. É uma nova oportunidade de negócio.

2. A crise atrapalha? De que forma?

Quando se criou esse modelo de PPP, em 2014, a realidade econômica era outra. Hoje, o mercado está aos poucos compreendendo melhor a PPP que São Paulo criou e pedindo ao Estado para avançar nesse setor. É por isso que, ainda em 2016, nós vamos licitar mais dois grandes contratos de PPP.

3. O prazo de entrega das unidades é vantajoso?

Nossa intenção, com as PPPs, é reduzir o prazo de construção, que atualmente é de três anos, para um ano. Na Rua São Caetano, no centro, teremos prédios de cinco andares que serão entregues em dez meses, dentro da PPP do centro, a primeira do Brasil. Por que a agilidade? Porque o parceiro privado só recebe depois da entrega das chaves. Ele, então, tem pressa, interesse em fazer rápido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.