Com alternativa de transporte, projetos incentivam a carona

Iniciativas visam melhorar as condições do trânsito e reduzir a emissão de CO2 nas cidades

Mônica Aquino, do estadao.com.br,

05 de setembro de 2008 | 20h18

Preconceito entre muitos paulistanos, a carona pode ser uma boa solução para reduzir o trânsito na cidade e minimizar a emissão de poluentes. Para incentivar os paulistanos a tomarem a iniciativa de dar carona, alguns projetos começam a surgir na cidade. O MelhorAr foi lançado em São Paulo com a intenção de cruzar dados de funcionários de empresas da capital e montar uma rede de caronas. "É preciso que as pessoas tenham consciência de responsabilidade social", afirma Lincoln Paiva, idealizador do projeto e diretor da Believe Comunicação Viva. Veja também:Uso de transporte público cresce na região metropolitana de SPViagens de bicicleta em São Paulo dobram em dez anosPolítica de transporte de São Paulo ignora bicicletas como meioSoninha defende pedágio urbano em 'áreas disputadas' de SPKassab promete 2009 sem reajuste na tarifa de ônibus Para Maluf, carro parado é o que causa poluição em São PauloEm vez de pedágio, Alckmin quer duplicar corredor de ônibusMarta descarta pedágio urbano e rodízio maior em São Paulo "Aqui, o governo não dá nenhum beneficio, como as pistas preferenciais para quem tiver mais de uma pessoa dentro do carro", explica Paiva. Para projetos como o MelhorAr darem certo, é preciso a adesão de um grande número de empresas. "Quanto maior a escala de pessoas que participarem, maior é a chance do projeto dar certo", diz Paiva, explicando que uma maior adesão dá mais possibilidades de conseguir uma carona entre os usuários do sistema. Em São Paulo, a Secretaria do Meio Ambienta já havia lançado, em 28 de maio, um mutirão de conscientização no projeto Mutirão da Carona - Seja Solidário. Carona é Legal! De acordo com os dados da secretaria, a região metropolitana tem cerca de 8,5 milhões de veículos, sendo que diariamente 500 novos veículos por dia são emplacados apenas no município de São Paulo. A intenção do projeto da secretaria era, além de reduzir a emissão de poluentes, contribuir para a redução do trânsito nas cidades do Estado. No MelhorAR, os usuários cadastram um CEP - normalmente o local de trabalho - e preenchem um formulário com dados como o tipo do carro e combustível usado além de dados como tipo de música preferido e seu perfil. "A intenção é fazer que pessoas de um mesmo perfil dêem carona, assim, há mais chance de dar certo", argumenta Paiva. "Com todos esses dados, é possível calcular o quanto foi economizado em emissão de CO2", explica. Para incentivar a participação dos funcionários, algumas empresas oferecem benefícios que vão desde melhores vagas de estacionamento até custeamento do combustível. "Algumas escolhem pagar 10% do custo da gasolina", diz. "Em troca, as empresas ganham funcionários conscientes e uma boa imagem institucional", afirma Paiva. Uma das fontes do MelhorAr foi a cidade de Washington, que desenvolve projetos com empresas que têm mais de 100 funcionários. Com incentivos fiscais, as empresas passaram a se sentir estimuladas a desenvolver projetos de caronas e de uso prioritário do transporte coletivo. Como resultado, 26 mil veículos foram retirados das ruas e os atrasos nas empresas caiu para 18%, além da redução no consumo de gasolina e emissões de CO2.     

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.