Com a chegada do verão, Parque Burle Marx é boa opção para prática de esportes

Com a chegada do verão, Parque Burle Marx é boa opção para prática de esportes

São 138 mil metros quadrados de área verde com espaços para caminhadas e corridas ao ar livre

O Estado de S. Paulo

18 Dezembro 2014 | 13h48

 

Tombado pelo patrimônio histórico, o Parque Burle Marx ficará aberto durante todo o período de festas com opções de lazer para todos os gostos e faixas etárias. Localizado entre os bairros de Vila Andrade e Morumbi, na zona sul da capital, o local é conhecido pelo lazer contemplativo - jardins, construções históricas e trilhas para caminhada.

São mais de 138 mil metros quadrados que garantem, além de entretenimento, um respiro necessário de área verde em São Paulo. Com objetivo de aproximar os mais de 20 mil visitantes mensais da natureza, as trilhas e jardins são os maiores destaques do local.

Os jardins do Parque Burle Marx foram criados e implantados pelo paisagista e arquiteto Roberto Burle Marx ainda em 1950. O famoso gramado xadrez, assim como o caminho das palmeiras, a área do Pergolado e o Espelho d´água com seu conjunto de fontes foram conservados ao longo dos anos e são, hoje, cenário até de ensaios fotográficos para editoriais.

Natureza. O Parque Burle Marx está classificado dentro da opção de lazer contemplativo que determina o que pode e não pode ser feito dentro de suas intermediações. A biodiversidade de Mata Atlântica abriga mais de 80 espécies de animais silvestres e árvores nativas que podem ser encontrados nos mais de 4 quilômetros de trilhas.

Para o paulistano que deseja conhecer ou revisitar o local, a administração do parque - feita de maneira privada, porém sem fins lucrativos (OSCIP) - ressalta que bolas, bicicletas e skates são permitidos apenas para crianças menores de 12 anos. A alimentação como piqueniques também não podem ser feitas nas áreas gramadas do Burle Marx, apenas na região da lanchonete local. Com o intuito de preservar a fauna silvestre da região, não são permitidos animais de estimação. 

O Burle Marx é o primeiro parque do Brasil a ser administrado no formato de parceria entre município e iniciativa privada sem fins lucrativos (OSCIP), segundo modelo norte-americano aplicado aos parques Central Park e Bryant Park, em Nova York, nos EUA. A arrecadação de recursos fica por conta do estacionamento, ações de marketing, projetos culturais, doações da sociedade civil, eventos e comercialização de produtos.

 Parque Burle Marx: Avenida Dona Helena de Moraes, 200 - Panamby

Site, Facebook, Instagram

Como Chegar.

Carro: Para aqueles que seguirem pela Marginal Pinheiros sentido Interlagos, basta passar a ponte do Morumbi, seguir por aproximadamente 2km e pegar a saída da Marginal Local (Panamby) - seguir placas de Estacionamento do Parque Burle Marx. Para aqueles que vierem pela Marginal Pinheiros sentido Centro, fazer o retorno na Ponte do Morumbi e seguir pela Marginal Pinheiros sentido Interlagos.

Transporte público: Para aqueles que vieram das zonas leste e norte, o itinerário mais fácil é: seguir até a estação de metro Anhangabaú (linha 3 vermelha), ir para o Terminal Bandeira e pegar o ônibus "Inocoop Campo Limpo - 6291/10", descer no ponto da Rua Deputado Laércio Corte, próximo ao parque.

Para aqueles que vieram das zonas sul e oeste, o itinerário mais fácil é: seguir para a estação de metro Giovanni Groncchi - linha 5 Lilás, ir para o Terminal João Dias, pegar o ônibus "Instituto Lucy Montoro - 5119/23" e descer na Rua Itapaiúnas próximo ao Villagio Panamby. Subir a Av. Dona Helena Pereira de Moraes, cerca de cinco minutos de caminhada até a entrada do parque.

É possível também, para aqueles que partirem da zona sul, seguir para o Terminal de ônibus Santo Amaro, e, ao lado do terminal, na Avenida Padre José de Anchieta, pegar o micro ônibus "Paraisópolis 807P/10" - descer na Avenida Dona Helena Pereira de Moraes.

Bicicleta: Ainda não há ciclovias que seguem direto para a região. 

Para aqueles que vierem pela região do centro expandido, pegar a Ponte do Morumbi, seguir pela Avenida Morumbi até entrar na Rua Colégio Pio XII a esquerda, seguir até a Praça Ayrton Senna e posteriormente subir para a Avenida Carlos Queiróz Telles, depois basta contornar o gradil do parque até a entrada principal.

Um caminho mais seguro (porém mais longo) seria: seguir pela ciclovia da Marginal Pinheiros até a Estação Jurubatuba, de lá, atravessar a ponte Socorro, seguir pela Avenida Guarapiranga, entra na Avenida Guido Caloi, seguir até o entroncamento da João Dias com a Giovanni Groncchi, depois seguir pela Rua Itapaiúnas até a Avenida Dona Helena Pereira de Moraes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.