Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Com 30 mil autuações por dia, multas de trânsito caem na capital

Ao longo de 2018, segundo levantamento da Prefeitura, número de multas caiu 18,46%; número de mortes ficou estável, segundo dados estaduais

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2019 | 00h11

A quantidade de multas de trânsito registradas na cidade de São Paulo caiu 18,46% em 2018, na comparação com o ano anterior, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Transporte. A Prefeitura não divulgou o balanço das mortes no trânsito, mas boletins do governo estadual mostram que o número de vítimas ficou estável no período

Foram cerca de 10,9 milhões de multas lavradas ao longo do ano passado – uma média de 30 mil por dia –, ou 2,4 milhões de autuações a menos na comparação com 2017. A reincidência e a quantidade de veículos penalizados também caiu.

No ano passado, cerca de 27% da frota de veículos paulistana respondeu por todas as multas registradas – no ano anterior, eram 30%. A maior parte das autuações ocorreu por excesso de velocidade (40% das multas) e derespeito ao rodízio de veículos (22%). 

Mortes

Segundo o Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito de São Paulo (Infosiga), mantido pelo governo estadual, a capital registrou 884 mortes no trânsito em 2018, apenas uma a menos do que no ano anterior. Isso apesar do crescimento de 18% nas mortes de motociclistas (360, no total), após três anos de queda. 

No início de 2019, ainda segundo o Infosiga, houve crescimento no número de mortes. Nos dois primeiros meses do ano, a cidade registrou 147 vítimas fatais em ocorrências no trânsito – alta de 13% em relação ao primeiro bimestre 2017, e de 18% ao mesmo período do ano passado. 

Isso ocorreu com a alta em janeiro, quando foram registradas 87 mortes no trânsito. Foram 30 a mais do que em janeiro do ano passado, e 28 a mais do que no mesmo mês de 2017. Em fevereiro, houve queda no número de vítimas fatais – um total de 60 mortes neste ano, sete a menos do que em fevereiro de 2018 e nove a menos do que no ano anterior. No total, os dados do Infosiga ainda mostram aumento nas mortes durante o bimestre.

No Painel Mobilidade Segura, mantido pela Prefeitura, um aviso diz que o número de mortes em 2017 na capital está em processo de revisão. Quanto à estatística de 2018, não há informações. A reportagem não conseguiu contato com a Prefeitura para esclarecer o problema. Em nota, a Secretaria Municipal de Transporte diz que investe "em políticas de conscientização, valorização da vida e prevenção de acidentes". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.