Com 217 km de lentidão, SP bate novo recorde de trânsito

No dia de anúncio de novo pacote contra trânsito, cidade pára com congestinamento de 217km

Da Redação,

13 de março de 2008 | 18h41

No dia em que o secretário de Transportes do município, Alexandre Moraes, anunciou um pacote de medidas com o objetivo de melhorar o tráfego da cidade de São Paulo, o trânsito bateu o sexto recorde em 15 dias. Às 18h30 desta quinta-feira, 13, a cidade tinha 217 quilômetros de vias congestionadas. Esse número ultrapassa os 208 km verificados no dia 29 de fevereiro, às 19 horas.     A situação vem se agravando ao longo do dia devido à combinação entre excesso de veículos e chuva e às 19h08 a cidade marcava 221 quilômetros de lentidão. Neste início de noite, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) contabilizava 13 pontos de alagamento, todos em situação transitável.   Veja também: Acompanhe a situação do trânsito em SP agora Pesquisadores mostram como se forma o trânsito  Para especialistas, caminhões 'dão nó' nas ruas O trânsito, para você, tem piorado? Opine    A Marginal do Tietê apresentava a situação mais complicada. Havia 15,4 km de morosidade nas pistas expressa e local, entre a Rodovia Castelo Branco e a Ponte da Vila Guilherme, no sentido da Ayrton Senna, e 12 km, entre a Ponte da Freguesia do Ó e o Hospital da Vila Maria, no sentido da Castelo. O Corredor Norte-Sul (formado pelas Avenidas 23 de Maio, Rubem Berta e Moreira Guimarães) estava congestionado por 8,7 km, da Praça da Bandeira até o Viaduto João Julião da Costa Aguiar, no sentido do Aeroporto de Congonhas.   Medidas   O secretário afirmou que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estuda cancelar as vagas de estacionamento em uma série de ruas. Moraes não citou quais estão na mira da Prefeitura. Mas, adiantou que a medida deve atingir vias como a Alameda Santos, na região da Avenida Paulista, e a Avenida Voluntários da Pátria, na zona norte. A Alameda Santos hoje sofre problemas diários por conta das obras de revitalização da Paulista. "Há vários pontos onde o transporte será beneficiado, porque essas medidas vão atingir tanto os veículos de transporte coletivo quanto os carros de passeio", disse Moraes.   Outra medida que a prefeitura pretende implementar é ampliar o horário de restrições para o transporte de cargas em vias de grande fluxo de veículos, como a Marginal do Tietê, a Marginal do Pinheiros e Avenidas 23 de Maio e dos Bandeirantes. O secretário não explicou, no entanto, se essa medida, na prática, seria a proibição definitiva de caminhões nos horários de pico nestas vias de grande circulação.   Segundo o secretário, que não deu muitos detalhes das ações, as medidas deverão ser adotadas nos horários de pico, a exemplo do que já acontece com o rodízio diário de veículos. Uma das medidas anunciadas é melhorar a fluidez nos corredores de ônibus, alterando os tempos de parada nos semáforos. "Isso pode dar mais fluidez nos corredores", disse o secretário, durante a entrevista coletiva que concedeu após a cerimônia de assinatura do convênio entre a prefeitura e o governo do Estado, onde a administração municipal repassou R$ 200 milhões para o Metrô realizar desapropriações para a ampliação do serviço. Matéria atualizada às 19h17 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
trânsitoCET

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.