Coelho Sansão é levado de estátua da Mônica

Companheiro da dentuça foi levado de uma das peças da mostra de 50 anos da personagem; dentuça está agora na esquina da Alameda Tietê com a Rua Bela Cintra

O Estado de S. Paulo

19 Novembro 2013 | 12h58

SÃO PAULO - Mais uma estátua da Mônica Parade, mostra comemorativa dos 50 anos da personagem em quadrinhos, foi alvo de vandalismo na cidade de São Paulo. A vítima da vez foi a obra personalizada pelo artista Alexander Borba, na esquina da Alameda Tietê com a Rua Bela Cintra, nos Jardins. O coelho Sansão foi arrancado de suas mãos e só sobraram as orelhas do fiel companheiro da dentuça.

Segundo a organização da exposição, a avaria aconteceu na semana passada, quando a peça ainda estava na Alameda Jaú, 1960. Já havia sido constatada pela equipe de manutenção, que faz rondas diárias, mas esperava os reparos de outra Mônica danifica para não desfalcar o time: a da Rua Oscar Freire, furtada no dia 8 e encontrada no dia 14, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

Depois de ter o coelho arrancado, a estátua foi transferida para a esquina da Rua Bela Cintra com Alameda Tietê, onde a avaria foi percebida e compartilhada pelo público nas redes sociais nesta terça-feira, 19. De acordo com os organizadores, um novo Sansão está sendo confeccionado e deve substituir o anterior ainda esta semana.

Vandalismo. Além da estátua furtada, pelo outra três obras foram vandalizadas nas ruas da cidade - todas já restauradas, de acordo com a organização do evento. A estátua exposta na Praça Benedito Calixto, na região central, foi alvo de pichadores, e teve uma suástica pintada na testa. Na Avenida Paulista, duas das seis esculturas instaladas foram pichadas.

Exposição. As 50 Mônicas personalizadas por diferentes artistas, uma delas pelo próprio Mauricio de Sousa, foram distribuídas por 35 bairros de São Paulo. As esculturas são feitas de fibra de vidro e ficam sobre uma base de 25 centímetros. Nomes como Rui Amaral, Hiro Kawahara e Danilo Beyruth assinam as criações.

A exposição a céu aberto vai até 8 de dezembro. Depois, 20 serão leiloadas - com a renda revertida ao Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef). Outras 30 seguem em turnê, primeiro para o Rio, depois para Belo Horizonte. Os fãs podem acompanhar os bastidores do evento pelo site wwww.monicaparade.com.br.

Mais conteúdo sobre:
mônicacoelhoestátua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.