Cobrança não espanta passageiro da Linha 4

O início da cobrança da tarifa de R$ 2,65 na Linha 4-Amarela pegou muitos passageiros de surpresa, mas não alterou o movimento no trajeto. Ontem, 10,4 mil passageiros foram transportados entre as Estações Paulista e Faria Lima. No dia 14 de junho, última segunda-feira antes de a cobrança ser iniciada, foram 11,1 mil usuários, apenas 6% a mais.

Luiz Guilherme Gerbelli, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2010 | 00h00

A nova linha havia sido entregue em 25 de maio e, desde então, funcionava com o embarque gratuito. Com o início da cobrança, a migração para a Linha 2-Verde para quem desembarca na Estação Paulista foi liberada. Até domingo, somente os passageiros que desciam na Estação Consolação podiam trocar de linha. A baldeação é realizada por meio de uma esteira rolante.

"Só fiquei sabendo por um aviso sonoro de um trem que circula pela Linha 2-Verde que a cobrança já estava valendo", afirmou Amora Tiezzi, de 19 anos, estudante de Gastronomia. Nas estações, foram colocados cartazes informando o início da cobrança e a liberação da integração total com a Linha 2-Verde. As mudanças também foram divulgadas por avisos sonoros.

A auxiliar administrativa Elaine Carvalho, de 39 anos, trabalha na Avenida Angélica e começará a utilizar a Estação Paulista para fazer a interligação com a Estação Consolação, da Linha Verde.

"Moro no Jabaquara e venho de metrô todos os dias para o trabalho. Vou começar a usar a integração para a Linha 2. Será mais prático", afirmou ela, que também não sabia da cobrança.

A estudante de Arquitetura Paula de Oliveira, de 24 anos, utilizou a nova linha pela primeira vez e, por isso, disse que não sabia do início da cobrança. Ela embarcou na Faria Lima e foi até a Paulista. "Os vagões ainda estavam bem vazios", disse.

A Linha 4 continuará a funcionar entre as 9h e as 15h. Só quando as Estações Butantã e Pinheiros forem inauguradas, o que deve acontecer no fim do ano ou no início de 2011, passará a adotar o horário tradicional do Metrô.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.