Cobrança na Linha 4 começa segunda-feira

Até o fim do ano, horário de funcionamento das Estações Paulista e Faria Lima será das 9h às 15h; movimento já é seis vezes maior que expectativa

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2010 | 00h00

Os passageiros da Linha 4-Amarela do Metrô vão começar a pagar tarifa pelas viagens a partir da próxima segunda-feira, dia 21. A linha foi inaugurada no fim de maio com duas estações: Paulista e Faria Lima. Desde então, a concessionária ViaQuatro utilizava o esquema de "operação assistida", na qual as viagens eram gratuitas para a população.

O horário de funcionamento dos trens continuará das 9 às 15 horas, de segunda a sexta-feira - essa operação será mantida até o fim do ano. O valor da tarifa é o mesmo do praticado no restante da rede paulistana: R$ 2,65. O usuário da Linha 4 terá direito à integração à rede de Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Na Estação Paulista poderá fazer integração com a Linha 2-Verde, na Estação Consolação, por meio da esteira rolante que liga as duas estações. Todos os bilhetes aceitos nas outras linhas do Metrô também poderão ser utilizados na Linha Amarela.

Nos últimos dias, passada a euforia da inauguração, a Linha 4-Amarela atingiu um número estável de pessoas transportadas. Mas a quantia é muito acima da prevista inicialmente pela ViaQuatro - que administra a nova linha. Nas últimas semanas, foram registrados em média 12 mil passageiros por dia, seis vezes mais do que o esperado (2 mil).

A Linha 4-Amarela recebeu um grande número de pessoas após a inauguração, muitas delas curiosas em conhecer as novidades do ramal - como os trens sem operadores. No segundo dia, por exemplo, foram transportados 19 mil passageiros. Mas essa quantia começou a cair, até se estabilizar no índice atual - dependendo do dia, varia entre 11,7 mil e 12,4 mil.

"Nossa percepção é que as pessoas já estão utilizando a Linha Amarela como um meio de transporte. Já não há um grande número de pessoas que vêm para conhecer", diz o presidente da ViaQuatro, Luís Valença. Segundo ele, a previsão inicial de passageiros era mais baixa, pois havia sido feita uma estimativa com base no movimento em todo o Metrô. Valença, no entanto, afirma que a Linha tem condições de atender à demanda e que a situação não vai atrapalhar os testes.

Picos. Um dos indícios de que a maioria utiliza a linha para se locomover para seus compromissos é que já se formaram "horários de picos" na linha - que opera das 9 às 15 horas. O momento de maior movimento é justamente entre 9 e 10 horas, logo após a abertura das estações. A ViaQuatro chega a registrar 3 mil passageiros nesse intervalo, quase o dobro de outros horários. "A leitura que faz mais sentido é que são pessoas que já vêm da Linha 2-Verde continuam na Amarela para ir até a Faria Lima", diz Valença.

A arquiteta Vanessa Siqueira é uma das que utilizam a Linha Amarela para chegar ao trabalho. Moradora da região da Faria Lima, ela costuma utilizar o Metrô até a Paulista e depois segue de ônibus até o centro, onde trabalha. "O Metrô sobe mais rápido até a Paulista e é mais vazio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.