CO2 ultrapassa marca perigosa

A concentração média de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera ultrapassou a marca de 400 partes por milhão (ppm), um limite emblemático do fracasso dos esforços globais de controlar as emissões deste que é o principal gás relacionado ao aquecimento global.

O Estado de S.Paulo

11 Maio 2013 | 02h04

O anúncio foi feito ontem pela NOAA, a agência de ciências oceânicas e atmosféricas dos Estados Unidos, que monitora a concentração desde 1958, de um observatório na ilha do Vulcão Mauna Loa, no Havaí, a 3,4 mil metros de altitude. Na quinta-feira, a concentração média diária registrada ultrapassou 400 ppm pela primeira vez.

Antes da Revolução Industrial, a concentração era de 280 ppm. Depois disso, esse número tem aumentado a uma taxa cem vezes maior do que no fim da última Era Glacial.

Segundo os cientistas, não há dúvida de que o aumento é causado por emissões de atividades humanas. A meta da ONU é impedir que a concentração passe de 450 ppm, considerado o limite de segurança para evitar mudanças climáticas mais catastróficas. / HERTON ESCOBAR

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.