CNJ vai monitorar acompanhamento dos processos

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai monitorar os processos decorrentes da tragédia na boate Kiss, em Santa Maria. O caso será agregado ao programa Justiça Plena, que monitora e dá transparência a ações de grande repercussão social. Entre os 129 casos que já fazem parte desse projeto está o assassinato da missionária Dorothy Stang, em fevereiro de 2005.

O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2013 | 02h02

O autor da proposta, aprovada pela maioria do CNJ, foi Gilberto Valente Martins. Os conselheiros José Lúcio Munhoz e Tourinho Neto votaram contra. "A inclusão de processos no programa geralmente acontece quando é detectada uma demora na tramitação do processo", afirmou Munhoz.

O presidente do órgão, Joaquim Barbosa, disse que o Judiciário está à disposição das autoridades do Rio Grande do Sul. / MARIÂNGELA GALLUCCI

Mais conteúdo sobre:
Santa Maria Kiss

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.