CNJ tem lista de ameaçados

Casos de ameaças a juízes não são raros no País. Mas poucos acabam em morte, como ocorreu com a juíza Patrícia Acioli, em agosto do ano passado em Niterói (RJ).

O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2012 | 03h03

Considerada "linha dura", ela ajudou a condenar mais de 70 policiais bandidos nos 12 anos em que atuou em São Gonçalo. Jurada de morte por também investigar a participação de PMs em grupos de extermínio da região, ela foi morta com 21 tiros na porta de casa.

Lista divulgada no fim de agosto mostrava 134 juízes em risco de vida por causa de ameaças. Na relação anterior, eram cem magistrados, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.