CNJ apura se TJ falhou na proteção à juíza

A Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça analisa se houve negligência do Tribunal de Justiça do Rio ao tratar da segurança da juíza Patrícia Acioli, morta no dia 11, em Niterói. Parentes afirmaram que ela havia pedido reforço na segurança, mas o tribunal não teria atendido. O atual e ex-presidentes do TJ disseram não ter recebido a solicitação. Caberá ao plenário do CNJ abrir processo se for identificada falha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.