Clubes e atletas se mobilizam em prol das vítimas

Jogadores de futebol. vôlei e nadadores leiloam camisas e arrecadam donativos para ajudar[br]os desabrigados

Valéria Zukeran, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2011 | 00h00

A tragédia nas cidades serranas do Rio comoveu o meio esportivo como há muito não se via. Tão logo as informações do grande número de mortos e desabrigados se espalharam, atletas começaram a mobilização para ajudar. Alguns pedem donativos, outros fazem doações e um terceiro grupo faz apresentações em prol das vítimas.

O Santos FC promove até dia 27 o leilão de três camisas pelo portal Mercado Livre com lance mínimo de R$ 3 mil. As peças são a tradicional 3 do lateral esquerdo Léo, autografada pelo elenco masculino; a da melhor jogadora do mundo, Marta, usada na final do Mundialito, com as assinaturas de todas as sereias; e uma da seleção brasileira sub-20, do craque Neymar, com autógrafos do elenco que disputará o Sul-Americano no Peru.

O vencedor poderá receber os prêmios das mãos do elenco santista, no CT Rei Pelé, e assistir a uma partida com acompanhante ao lado do presidente do clube, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, no camarote da presidência.

No fim de semana, o Palmeiras arrecadou oito toneladas de produtos para as vítimas. No Rio, o Vasco arrecadou cinco toneladas no amistoso contra o Cerro Porteño. O Botafogo arrecadou duas toneladas no amistoso contra o Democrata.

O vôlei também vai contribuir. Na rodada de 28 a 30 de janeiro todas as equipes mandantes arrecadarão donativos. Pelo Twitter, as jogadoras do Sollys/Osasco, Natália e Adenízia, iniciaram uma campanha. O time jogará amanhã e sábado no Ginásio José Liberatti, em Osasco, na Grande São Paulo. Os doadores poderão assistir mais duas partidas do campeão da Superliga. "Comunicar nossos fãs, pedindo ajuda, já é muito importante", avalia Adenízia.

Em Araçatuba, interior do Estado, o Vôlei Futuro enfrentará o Unilever no Ginásio Plácido Rocha no domingo. O técnico da seleção brasileira masculina e da Unilever, Bernardinho, representando o Rio, receberá um cheque simbólico no valor de R$ 10 mil para as vítimas. O time carioca arrecadou 3,5 mil itens no último jogo da Superliga. "Sinto como se fossem pessoas que conheço", disse a jogadora do Vôlei Futuro Joycinha. "Queremos ajudar da melhor forma possível."

A partir das 13 horas de hoje, no complexo esportivo do Maracanã, haverá apresentação de polo aquático, saltos ornamentais e até da seleção russa de nado sincronizado com entrada gratuita. É possível entregar doações no evento e também no Comitê Organizador Rio 2016, Ginásio do Maracanãzinho e Estádio Caio Martins, em Niterói.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.