Clube de Regatas Tietê vira clube-escola

Decreto foi publicado ontem, embora antigos sócios não tenham desistido de reaver o espaço

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2013 | 02h03

O antigo Clube de Regatas do Tietê, no Bom Retiro, região central, vai virar um centro esportivo municipal aberto para a população. O decreto que define o local como clube-escola foi publicado no Diário Oficial da Cidade de ontem.

Às margens do Rio Tietê, o local será voltado a "atividades físicas, esportivas, de lazer e de recreação, especialmente para os alunos da rede pública e familiares, bem como para a população do entorno". A área de 50 mil m² tem um parque aquático de cinco piscinas - duas olímpicas -, sete quadras de tênis, ginásios, campos de futebol, pistas de atletismo e quadras poliesportivas.

O local foi fechado em novembro, depois de funcionar por 105 anos. O terreno foi devolvido à Prefeitura depois de uma batalha judicial que acontecia desde 2009 - em outubro daquele ano, venceu a última concessão da área, com prazo de 40 anos. "Temos uma área que voltou para o poder público e a gente não pode deixar deteriorar. Vamos deixar a área em condições de uso pela população o mais rápido possível", disse o secretário municipal de Esportes, Celso Jatene. Ele afirma que há muito entulho no local, que também está sem água e luz.

A administração também pretende criar o Memorial do Clube de Regatas Tietê, para preservar a memória e os registros da entidade, que mantém uma sala com os 2,5 mil troféus e medalhas. Isso depende, no entanto, da autorização dos sócios.

A entidade é uma das mais tradicionais de São Paulo. O clube revelou atletas como a tenista Maria Esther Bueno, tricampeã de Wimbledon em1959,1960 e 1964, e os nadadores recordistas mundiais Abílio Couto e Maria Lenk.

O presidente do Clube de Regatas Tietê, Lauro de Melo Carvalho, no entanto, afirma que os sócios não desistiram de reaver o espaço e reativá-lo. "Vamos até o Supremo", afirmou. "Emparedaram nossas coisas lá e não deixam ninguém entrar", criticou. Carvalho afirma que os funcionários do clube ainda estão contratados e os sócios também têm se reunido com frequência. Para pagar as dívidas, Carvalho afirma que o clube pretende vender uma casa de campo na região da Represa do Guarapiranga, avaliada em R$ 25 milhões.

História. O clube foi fundado em 1907, por Victor Leite Mamede e Júlio Ribeiro, egressos de outra entidade que reunia remadores, o Clube de Regatas São Paulo. O clube foi citado na edição de 8 de junho daquele ano do Estado, que relata que a assembleia de fundação aconteceu "com enorme concorrência de sócios". A entidade revelou grandes nomes do esporte até os anos 1960, quando o Rio Tietê já deixara de ser navegável.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.