Clonagem de cartão e roubo de moto: 12 presos

Após quase quatro meses de investigação, a Polícia Civil prendeu ontem 12 pessoas e desarticulou duas quadrilhas: uma especializada em furtos e receptação de motos e, outra, em clonagem de cartões bancários. Três pessoas não foram localizadas e um homem fugiu.

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

31 Março 2011 | 00h00

Nas ações - realizadas por policiais do 7.º Distrito Policial, da Lapa, e da Seccional Oeste com efetivo de cerca de 90 homens e 40 viaturas - foram apreendidas 11 máquinas de clonagem de cartão, chamadas de chupa-cabra, sete notebooks, dezenas de cartões de crédito e débito, celulares, seis carros - entre eles um iX35, da Hyundai, e um C4 Pallas, da Citroën - e duas motos.

Segundo o delegado titular do 7.º DP, Rubens Barazal, oito presos pertenciam à quadrilha de clonagem de cartões. Quatro, à que furtava, desmanchava motos e revendia suas peças. Apenas um participava das duas.

"Estávamos investigando a de roubo de motos quando, em um telefonema gravado, foi mencionada a outra. Resolvemos aumentar a abrangência", explicou o delegado.

Foram filmadas ações dos bandidos em dois bancos: em Guarulhos, na Grande São Paulo, e no Horto, zona norte da capital. A colocação do kit chupa cabra no caixa eletrônico levava menos de três minutos. O kit tinha uma máquina que copia as informações da tarja dos cartões e outra que filma as senhas digitadas.

Os equipamentos eram instalados nos caixas eletrônicos de manhã e retirados no fim da tarde. Segundo Barazal, é cedo para dizer o número de pessoas prejudicadas, mas estima-se um prejuízo em mais de R$ 100 mil. O dinheiro, segundo ele, era usado para compra de carros de luxo, roupas e calçados, entre outros.

Boletos. Além de compras em hipermercados e lojas de São Paulo, os bandidos usavam empresas em atividade na capital para emitir boletos falsos.

Uma delas, de artigos esportivos, está em nome de Fernanda Torres de Oliveira, de 34 anos. A outra, de eventos, pertence uma irmã de Kleber Tadeu Gobilozzi, de 34, preso ontem.

PRESTE ATENÇÃO

1. Antes de usar o caixa eletrônico, examine o local para verificar se não encontra algo fora do padrão. Caso localize, comunique o estranhamento a um funcionário da instituição bancária ou, se estiver num caixa 24 horas, dirija-se a outro terminal de atendimento.

2.Não escolha como senha do cartão data de nascimento, placa do carro nem repita o mesmo número várias vezes.

3.Se seu cartão for perdido, furtado, roubado ou clonado, comunique imediatamente ao banco e registre a ocorrência na delegacia mais próxima.

4.Troque suas senhas periodicamente, o que garante maior segurança.

5.Se optar for fazer suas transações online, mantenha um antivírus atualizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.