Clínica para dependentes é fechada por maus tratos em SP

Segundo Ministério Público, internos relataram sessões de espancamento; polícia prendeu dois sócios e duas funcionárias

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

19 Agosto 2014 | 11h36

SOROCABA - Uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público do Estado de São Paulo prendeu quatro gestores de uma clínica de reabilitação acusados de maus tratos aos pacientes, na noite desta segunda-feira, 18, em Salto de Pirapora, na região de Sorocaba, no interior de São Paulo. O estabelecimento privado, que mantinha 60 pacientes em regime de internação, foi interditado.

De acordo com o MP, os internos relataram sessões de espancamento promovidas por funcionários e dirigentes. Com o pretexto de livrá-los da dependência, os pacientes eram mantidos em cárcere privado. As famílias pagavam pelo tratamento.

Durante a operação, promotores e agentes da Polícia Civil constataram que vários internos tinham hematomas e marcas de agressões. Conforme os relatos, as mulheres eram agredidas com socos na cabeça e no estômago, enquanto os homens eram castigados com ripas de madeira e cabos de vassoura. As denúncias foram encaminhadas ao MP por familiares de pacientes.

Parte dos dependentes foi internada de forma involuntária, mas o MP não foi comunicado, conforme exige a lei. Foram presos dois sócios da clínica e duas funcionárias. Os suspeitos vão responder por cárcere privado, tortura e associação criminosa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.