Clima fica menos seco mas poluição ainda prejudica respiração

De 30 estações medidoras da Cetesb, até as 16 horas, 19 delas registravam qualidade do ar regular.

Aline Nunes, Jornal da Tarde

17 de julho de 2008 | 16h32

Embora os ventos tenham melhorado a umidade do ar na cidade de São Paulo, a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental alertou nesta quinta-feira, 17, que o ar continuou com alta concentração de poluentes e ventos desfavoráveis à dispersão. De 30 estações medidoras, até as 16 horas, 19 delas registravam qualidade do ar regular. A umidade relativa do ar passou por uma ligeira melhora nesta quinta. O índice mais baixo registrado na Capital neste ano foi de 13%, na quarta-feira, na estação Congonhas às 16h. Nesta quinta, no mesmo horário o registro foi de 31%.  Segundo o meteorologista do Climatempo, Marcelo Pinheiro, a massa de ar seco, que ocupa o céu da Capital há dias, sofreu um leve deslocamento. "Os ventos de hoje favoreceram o deslocamento da massa de ar seco, e permitiram uma pequena melhora da umidade do ar", explica Pinheiro. A menor umidade na Capital até às 16 horas foi de 28% no Mirante do Santana, na Zona Norte - maior que o registro de ontem de 25%. Até às 16 horas, a temperatura mínima registrada foi de 11,4 e a máxima de 23,8 graus.

Tudo o que sabemos sobre:
poluição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.