Clima é de euforia entre os usuários de crack que recebem o primeiro salário

Após trabalharem durante uma semana como varredores em praças, as pessoas receberam pagamento de R$ 120

Laura Maia de Castro, O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2014 | 16h19

SÃO PAULO - Usuários de crack que trabalharam toda a semana no programa Braços Abertos, da Prefeitura de São Paulo, receberam o primeiro salário nesta sexta-feira, 24, no Instituto Dom Bosco, no centro, onde também farão curso de capacitação.

A expressão era de euforia e muitos saíram balançando as notas no ar. Eles receberam ao todo R$ 120, referente a oito dias de trabalho como varredores.

Marcio Alan, de 42 anos, não trabalhava há oito anos, desde que chegou na Cracolândia. Do salário, ele afirmou que metade vai servir para pagar um tratamento dentário. Ele saiu do instituto Dom Bosco rindo e brincando: "Táxi!".

Alan também quer fazer compras: "Vou comprar uma bermuda e uma sandália também. Estou mais motivado para trabalhar na próxima semana."

Fabio Pereira da Silva, de 32 anos, disse que o seu objetivo com o dinheiro é visitar a família. "Estou me sentindo um vencedor. Vou comprar roupa para poder visitar minha família na Bahia", disse.

Mais conteúdo sobre:
CracolândiaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.