Ciúme é o 3º principal motivo para as mortes

Outro fato que chamou a atenção da delegada Elizabeth Sato, foi a motivação dos homicídios paulistanos. Ao contrário do que ocorria anos atrás, quando as drogas respondiam pela primeira causa de homicídios dolosos na capital, nos últimos cinco anos o primeiro posto ficou com os motivos fúteis (24,7%), seguidos pela vinganças (20,4%), desavenças (19,9%) e ciúmes/passionais (11,1%). De 2005 a 2009, as drogas (11,1%) apareceram como a quinta causa das mortes intencionais na capital.

, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2010 | 00h00

A delegada recorda-se de um dos casos esclarecidos que considera emblemático. "Uma mulher com um bebê estava sem fralda em casa e resolveu bater na porta da vizinha, que também tinha criança pequena em casa, para pedir uma emprestada. Quando o marido da que fez o empréstimo chegou do trabalho e ficou sabendo, foi tirar satisfações com a vizinha. O marido da outra abriu a porta e eles discutiram. O dono da casa pegou uma faca e matou o outro por um motivo absolutamente absurdo."

Um motivo aparentemente fútil também vitimou o empresário Dácio Múcio de Souza Júnior, de 29 anos, em 27 de dezembro. Filho do dono do grupo Europa, Dácio foi esfaqueado por um funcionário da Padaria Dona Deôla, em Higienópolis, região central da capital paulista, após uma discussão.

"Receber a notícia da morte de um filho não é nada fácil. A gente perde o chão. Não conseguia andar na rua sozinha por três meses", lembra-se a empresária Sueli Curti, de 53 anos, mãe da vítima. O pai de Dácio entrou em depressão ao saber da notícia do filho e morreu seis meses depois. Acusado do crime, o orientador de público Eduardo Soares Pompeu, de 48 anos, responde ao processo em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.