City tour oficial de São Paulo fica para 2013

Projeto começou a ser posto em prática com lançamento do edital de concessão do serviço; trajeto vai começar e terminar na Luz

RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2012 | 03h03

A Prefeitura de São Paulo finalmente deu o primeiro passo para a cidade ganhar seu city tour oficial. Com mais de um ano de atraso, foi lançado nesta semana o edital para a concessão do serviço. O tour vai passar pelos principais pontos turísticos do centro da cidade, pelo Parque do Ibirapuera e pela Avenida Paulista, e deverá entrar em funcionamento só no segundo semestre de 2013.

O mapa do percurso que será percorrido por cinco ônibus simultaneamente mostra que o trajeto vai começar e terminar na região da Estação da Luz, no centro da cidade. De lá, ele vai para a região da Consolação, passa no Estádio do Pacaembu, vai para a Avenida Paulista, depois para o Parque do Ibirapuera e finalmente volta ao centro, onde serão visitadas a Praça da Sé e o Pátio do Colégio.

"O tour vai mostrar a São Paulo antiga, da fundação, e também a São Paulo moderna e bonita da Paulista", afirma Ivan Whately, assessor especial da Secretaria Municipal de Transportes. Segundo ele, o público-alvo não é apenas o turista, mas também o paulistano que não conhece direito a cidade. "O roteiro é muito interessante, e tem muita gente que mora aqui a vida inteira mas não conhece direito o centro. Eu mesmo já fiquei com vontade de levar a minha família e fazer o passeio."

Preço. O valor do bilhete do ônibus ainda não está definido. Na verdade, a vencedora da concorrência será a empresa que oferecer o menor preço para os visitantes, obedecendo a um teto de R$ 70. Esse valor daria direito a um bilhete, mas os visitantes poderiam descer em algum dos pontos turísticos, passear e pegar o próximo ônibus para continuar o trajeto.

Critérios técnicos, como experiência prévia e o modelo de funcionamento proposto, por exemplo, também servirão para escolher a vencedora. Esse modelo vai prever, por exemplo, se os ônibus funcionarão no horário de pico ou não - já que vias que fazem parte do trajeto, como a Avenida 23 de Maio, costumam ficar paradas após as 17h. O funcionamento diário do tour, porém, é exigência da Prefeitura.

Além de operar os ônibus com uma parte aberta para os visitantes e contratar monitores para acompanhá-los, a empresa vencedora também terá de construir totens em cada uma das nove paradas previstas.

Atraso. Como a abertura das propostas está marcada apenas para o fim de novembro, a licitação só deverá ser concluída no fim deste ano. Depois disso, a empresa ainda tem seis meses para começar a operação. Ou seja, na melhor das hipóteses, deverá haver um atraso de mais de um ano e meio em relação à previsão inicial de começar a operação em janeiro deste ano. "O importante é que o projeto está saindo do papel. E é um projeto muito interessante, que coloca São Paulo no patamar das grandes cidades do mundo que têm esse serviço", afirma Whately.

 

Mais conteúdo sobre:
São Paulo city tour

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.