CINEMA EXIBE MISSA E ENCANTA FIÉIS

Evento grátis atraiu cerca de 90 católicos

MARINA AZAREDO, O Estado de S.Paulo

28 Abril 2014 | 02h07

Dispostas a ter a "sensação de estar no Vaticano", 90 pessoas foram ontem até o Cinemark do Shopping Metrô Santa Cruz para assistir à cerimônia de canonização de João Paulo II e João XXIII em tela grande.

"Para mim, é um momento muito especial, pois o papa João Paulo II teve um contato muito grande com o povo. Fiquei feliz com o fato de o papa Bento XVI ter agilizado o processo para que ele fosse canonizado. Fiz questão de vir ao cinema", comentou a estudante Raquel Azevedo, de 20 anos, que estava acompanhada do pai. "Em alguns momentos, eu senti como se estivesse lá. Estou muito feliz de poder ter esse momento com a Igreja Católica", disse o desempregado Carlos Eduardo Alves, de 25 anos.

Mesmo com a transmissão em latim, os fiéis acreditam que a experiência valeu a pena. "Até dá para entender algumas coisas, mas acho que o mais importante são os detalhes mesmo, e não o que eles estão falando", afirmou a estudante Beatriz Souza, de 19 anos.

O evento, grátis, atraiu também interessados nas canções litúrgicas. "O Vaticano ainda preserva muitas coisas da origem das músicas. É importante conhecer isso", disse o estudante de Música Eduardo Oliveira, de 18 anos. Ao lado do irmão, o diretor de arte Dimas Oliveira, de 31 anos, ele assistiu à transmissão até o fim - boa parte do público começou a deixar a sala quando o papa Francisco concluiu a canonização e começou a cumprimentar os presentes. "Foi muito emocionante poder assistir no cinema. Quando chegaram as relíquias dos dois papas, tive a impressão de que eles estavam ali mesmo", comentou Dimas.

Grande parte do público que esteve na sala era jovem, justamente um dos objetivos do Vaticano ao transmitir a cerimônia pela TV, pela internet e nos cinemas - inclusive com tecnologia 3D em alguns locais. "João Paulo II falava muito com a juventude", lembra Beatriz Souza, que foi ao cinema acompanhada de um grupo de amigos.

No entanto, apesar da popularidade dos dois papas e do ineditismo da cerimônia - nunca dois pontífices foram santificados ao mesmo tempo -, a sala ficou com menos da metade da sua capacidade total, de 260 pessoas. A transmissão começou às 12h e não foi ao vivo - no Vaticano, teve início às 5h (horário de Brasília).

Em São Paulo, além do Santa Cruz, a exibição pôde ser vista no Shopping Boulevard Tatuapé. Moradores de Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador e Recife também puderam acompanhar a canonização no cinema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.