Cinco sobreviventes de acidente aéreo são resgatados em Roraima

Aeronave Cessna estava desaparecida desde o último domingo; ocupantes foram encaminhados para os hospitais da região

Loide Gomes , Especial para O Estado

31 de outubro de 2014 | 18h25

Boa Vista - Os cinco ocupantes de uma aeronave Cessna que estava desaparecida desde domingo, 26, em Roraima, foram resgatados hoje com vida pela Força Aérea Brasileira (FAB). Eles desembarcaram no Aeroporto Internacional de Boa Vista ao meio-dia, desidratados e com fome.

O piloto Nonato Lima e o enfermeiro Anderson Teixeira Silva, 32 anos, foram encaminhados para o Hospital Geral de Roraima (HGR). As duas mulheres, François Rodrigues da Silva, 21, grávida de oito meses, e Marinei Vieira Barroso, 40, mãe de um bebê que nasceu dia 25 de outubro e também estava na aeronave, foram levados para a maternidade. A parturiente necessitou de cirurgia, e o bebê apresentava queimaduras. Os demais passam bem.

Os sobreviventes foram localizados na manhã desta sexta-feira, a cerca de 3,5 km de onde o avião havia sido encontrado vazio, na quinta-feira, 30.

Um bilhete escrito pelo piloto no dia 29 e encontrado dentro da aeronave por paraquedistas da FAB, foi essencial para encontrar o grupo. No manuscrito, o piloto informou o estado de saúde dos sobreviventes e indicou onde podiam ser localizados.

"Estamos indo para o Rio Branco, mata 270º. A equipe tá fraca passando fome a 3 dias. Por isso o motivo da saída do acampamento. Informamos mata perigosa com onça em volta. Peço que vocês vão até o Rio Branco proa 270º precisamos de alimento. Vamos tentar pegar barco no Rio Branco(sic)", diz o texto.

As equipes de busca seguiram para o local indicado e um helicóptero H-60 Black Hawk do Salvaero Amazônico, unidade da FAB responsável pela coordenação de operações de busca e salvamento na região amazônica, fez o resgate.

O caso. O avião Cessna, U206G, matrícula PP-FFR, pertencente ao governo de  Roraima, decolou às 11h50 (horário local) de Santa Maria do Boiacú, uma vila localizada no Baixo Rio Branco, cujo acesso só se dá por via aérea e fluvial, com destino a Boa Vista. O pouso estava previsto para as 14h, mas durante o trajeto, a aeronave perdeu a comunicação com o radar de controle aéreo e desapareceu.

O avião tinha sido solicitado pelo médico responsável pela Unidade de Saúde Rosa Vieira, de Santa Maria do Boiacú, para transportar uma paciente com complicações pós-parto.

Ainda no domingo à noite, familiares entraram em contato com autoridades locais e as buscas foram iniciadas na segunda-feira. Além da FAB, militares do Batalhão de Infantaria de Selva do Exército Brasileiro e do Corpo de Bombeiros de Roraima realizaram patrulhamento na selva e no rio em busca dos sobreviventes.

As causas do acidente ainda não foram esclarecidas. O avião foi encontrado a cerca de 200 quilômetros de Boa Vista, sem sinais de grandes avarias. O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (SERIPA), da Aeronáutica, investiga o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.