Fernando Calzzani/Photopress
Fernando Calzzani/Photopress

Justiça decreta prisão de 5 por megarroubo à Prosegur em Ribeirão

3 já estão detidos e 2 seguem foragidos; segundo o MP, empresa teve mais de R$ 50 milhões levados, dos quais menos de R$ 200 mil foram recuperados

Rene Moreira, Especial para o Estado

15 Agosto 2016 | 10h53
Atualizado 15 Agosto 2016 | 11h04

FRANCA - Cinco pessoas foram denunciadas pelo megarroubo à Prosegur, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, no início de julho. Os acusados, que tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça, responderão por dois homicídios, formação de quadrilha, roubo, incêndio, posse de explosivos e outros crimes que somados podem resultar em mais de 100 anos de condenação.

O Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP), confirmou que foram levados R$ 51,2 milhões pela quadrilha, que tinha entre 20 e 40 componentes. Do dinheiro roubado, menos de R$ 200 mil acabaram recuperados.

Dos cinco que tiveram a prisão decretada, três estão na cadeia e dois seguem foragidos.

Apuração. O crime resultou na morte de um policial militar rodoviário, atingido na fuga da quadrilha, e um morador de rua que foi jogado de uma ponte na saída da cidade. As investigações continuam para tentar localizar os foragidos e identificar o restante dos assaltantes envolvidos no roubo, o maior da história de Ribeirão Preto.

Mais conteúdo sobre:
Ribeirão Preto São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.