Cinco perguntas para...

Wlamir Lopes da Costa

O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2013 | 02h02

1. As aulas já começaram na maioria das escolas. Que medidas a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) adota para minimizar congestionamentos na porta dos colégios? O primeiro passo é a presença do agente de trânsito na porta das escolas e a montagem de algumas canalizações para ordenar o embarque e desembarque. Além de fiscalizar, os agentes também orientam os pais.

2. Que infrações que os pais mais cometem? As mais comuns são estacionar em local proibido e parar em fila dupla, duas grandes causas de lentidão. Se o veículo para em local proibido ou fila dupla, ele atrapalha a fluidez do tráfego. É assim que começam os congestionamentos que vão até as vias arteriais.

3. Essas infrações causam risco aos alunos? A nossa principal preocupação nas portas das escolas é garantir que as crianças usem a faixa de pedestre para a travessia das vias.

4. Quantos marronzinhos trabalham na operação de volta às aulas? Nosso efetivo é de 2,4 mil agentes. Desses, 300 vão para a porta das escolas. Mas esse número sempre pode mudar conforme as nossas necessidades.

5. Que bairros de São Paulo concentram mais "congestionamento escolar"? Não há um bairro específico. Nossa preocupação é que o trânsito não atinja as vias arteriais de trânsito. / BRUNO RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.